TVI vence prémio de jornalismo para a sustentabilidade

5 set, 06:42

Entrega de prémios aconteceu esta segunda-feira

A reportagem “Contaminação” conquistou o primeiro lugar na categoria Televisão dos Prémios Fundação Mestre Casais/CEiiA, que distinguiu trabalhos jornalísticos na área da sustentabilidade. 

O trabalho, da autoria dos jornalistas Filipe Caetano e Inês Tavares Gonçalves, faz parte da série Destino: Europa, publicada no Jornal das 8 da TVI ao longo de 2021. Com imagem de Hugo Neves, Miguel Bretiano e Nuno Quá, edição de imagem de João Pedro Ferreira, grafismo de João Nunes, tratamento de cor de Pedro Lobato e pós-produção áudio de António Lopes.
 
“Ver o Destino: Europa ser premiado é um estímulo para continuar a acreditar no Jornalismo de autor, irreverente e destemido. A «Contaminação» tocou num tema da atualidade, que cada vez mais a todos inquieta, mas que é, sem dúvida, dos mais difíceis de descodificar em televisão. Para a questão ambiental, não fizemos escolhas óbvias, e que bom, alguém reparou. Agradeço ao júri por nesta edição priorizar a Sustentabilidade e o reconhecimento do trabalho dos jornalistas portugueses e aos meus colegas de equipa por materializarem este projeto que em tempos julguei ser apenas um sonho distante”, referiu Inês Tavares Gonçalves.
 
“Contaminação é resultado de uma ideia que demorou muitos meses a concretizar e que nos levou a viajar em reportagem para vários países na Europa. Das minas de carvão na Polónia ao degelo dos Alpes, passando pelo aumento do nível das águas do mar que ameaça a zona protegida da Camarga, no sul de França, procurámos apresentar um retrato das várias ameaças provocadas pelas alterações climáticas. O Destino: Europa só foi possível devido a uma subvenção do Parlamento Europeu, essencial para suportar o investimento exigido por uma série documental desta envergadura”, acrescentou Filipe Caetano.
 
A entrega de prémios aconteceu nesta segunda-feira, nas instalações do CEiiA, em Matosinhos. Entre quase uma centena de candidaturas analisadas, foram distinguidos, no total, 14 jornalistas portugueses. A presidente do júri, Felisbela Lopes, destacou a “grande qualidade” e o “agendamento que prioriza inequivocamente as questões da sustentabilidade”, com destaque para os premiados na categoria de Televisão: “Nestes trabalhos, os jornalistas trabalham a palavra e os silêncios, e ambos comunicam muito. Nestes trabalhos, os repórteres não ouvem a confraria das fontes costumeiras que asfixiam o espaço público mediático. Escutam interlocutores que sabem do que falam”.
 
Em segundo lugar na categoria Televisão ficou o trabalho da SIC, intitulado “Alentejo, Azeite e Água”. Foram ainda vencedores “Dez Horas e quatro comboios: a viagem possível entre Lisboa e Madrid”, publicado na revista Notícias Magazine, e “Black Trail”, do jornal “Expresso”, nas categorias Imprensa e Digital, respetivamente. 
 
José Gomes Mendes, presidente da Fundação Mestre Casais, José Felizardo, CEO do CEiiA, Isabel Ferreira, Secretária de Estado do Desenvolvimento Regional, e João Matos Fernandes, ex-ministro do Ambiente e Ação Climática, marcaram presença na cerimónia e destacaram a importância da sustentabilidade e o protagonismo que jornalistas e órgãos de comunicação social podem ter para combater a literacia nessa área.
 
A reportagem "Contaminação" pode ser revista aqui.
 

País

Mais País

Patrocinados