Países da Agência Internacional de Energia libertam 60 milhões de barris de petróleo das suas reservas

Agência Lusa , BCE
7 abr, 23:58
Petróleo (arquivo)

Os elevados preços da energia alimentaram a inflação em todo o mundo e a guerra na Ucrânia agravou o problema, face às incertezas sobre o fornecimento de petróleo e gás natural por parte da Rússia e as sanções do Ocidente a Moscovo

A Agência Internacional de Energia (AIE) revelou esta quinta-feira que os seus países membros vão libertar mais 60 milhões de barris de petróleo das suas reservas de emergência para combater o aumento dos preços da energia.

O anúncio acontece após as promessas anteriores dos EUA de tentar reduzir os custos energéticos, que dispararam após a invasão russa da Ucrânia.

A organização com sede em Paris afirma que os compromissos assumidos pelos seus 31 membros, que incluem os EUA e uma grande parte da Europa, atingem um total de 120 milhões de barris em seis meses, a maior libertação da história da AIE.

Metade desses barris serão libertados pelos EUA, naquela que será, também, a maior libertação se sempre da sua reserva estratégica, anunciada na semana passada pelo presidente Joe Biden.

A AIE concordou, na sexta-feira, aumentar a quantidade de petróleo disponibilizado no mercado global, para além dos 62,7 milhões de barris que os membros da agência se comprometeram a libertar no mês passado para aliviar a escassez.

A decisão mostra “a determinação dos países membros em proteger a economia global dos impactos sociais e económicos de um choque no mercado petrolífero após a agressão da Rússia contra a Ucrânia”, disse o diretor executivo da AIE, Faith Birol.

Os mercados de energia foram pressionados pelo aumento da procura, quando a economia global procurava recuperar do impacto da covid-19, que superou a oferta e provocou o aumento de preços.

Os elevados preços da energia alimentaram a inflação em todo o mundo e a guerra na Ucrânia agravou o problema, face às incertezas sobre o fornecimento de petróleo e gás natural por parte da Rússia e as sanções do Ocidente a Moscovo.

A Rússia é o terceiro maior exportador mundial de petróleo, com cerca de 60% das suas exportações a terem como destino a Europa e 20% a serem destinadas à China.

Os países membros da AIE detêm 1,5 mil milhões de barris de petróleo em reservas públicas.

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Economia

Mais Economia

Patrocinados