Porto regista novo mínimo de desperdício de água em 2023

Agência Lusa , AM
22 mar, 08:44
Ponte D. Luiz I, Porto (Fernando Veludo/Lusa)

Empresa municipal Águas e Energia diz que "novo mínimo histórico" resulta do combate ao desperdício de água na rede pública

A cidade do Porto registou um índice de 13,28% de água não faturada em 2023, revelou a empresa municipal Águas e Energia, acrescentando que este "novo mínimo histórico" resulta do combate ao desperdício de água na rede pública.

Em comunicado, a empresa municipal esclarece que este resultado posiciona o município do Porto "entre as melhores entidades nacionais que menos desperdiçam água potável".

"O índice de 13,28% alcançado pelo Porto corresponde a menos de metade do valor médio nacional que ronda os 27,1%, de acordo com a Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos (ERSAR)", indica.

Em 2022, o município registou um índice de 13,4%.

O índice de água não faturada registado em 2023 resulta de "um elevado esforço na gestão eficiente do sistema de abastecimento", destaca a empresa municipal, notando que esse sistema é caracterizado por condutas centenárias "propensas a maior número de anomalias e perdas de água".

"A rede está inserida numa malha urbana densa que impõe ritmos de intervenção distintos", observa.

Citado no comunicado, o vice-presidente da câmara do Porto e presidente da empresa municipal, Filipe Araújo, afirma que a "deteção proativa" de anomalias e a implementação de medidas preventivas "são fatores cruciais" para gerir e reduzir os níveis de água não faturada.

"Estes indicadores colocam o Porto no restrito núcleo de municípios cuja qualidade de serviço é considerada excelente. Apesar disso, vamos continuar a trabalhar com o objetivo muito claro de gerir cada vez melhor este recurso tão essencial que é a água, já que cada vez mais estaremos sujeitos a fenómenos extremos, como por exemplo a seca", realça.

No documento, a empresa municipal destaca que o Programa de Gestão e Redução de Água Não Faturada "tem garantido a tendência decrescente de perdas na rede", assim como o "papel ativo" do cliente.

"A comunicação mensal da leitura do contador de água permite, ao cliente, um controlo mais rigoroso do seu consumo, atenuando as alterações na faturação. Paralelamente, o reporte de anomalias verificadas na via pública garantem a eficiência hídrica da rede de abastecimento e a sustentabilidade do sistema", sublinha.

A par do indicie de água não faturada, a empresa municipal destaca a redução do número de falhas no fornecimento de água ao cliente.

Segundo a Águas e Energia do Porto, em 2023, foram substituídos "mais de nove quilómetros de troços de condutas prioritárias consolidando a estratégia de intervenção na rede, que será duplicada este ano".

País

Mais País

Patrocinados