PCP espera que Pizarro dê prioridade ao "subfinanciamento crónico" do SNS

Agência Lusa , FMC
9 set, 19:56
Festa do Avante 2022

Deputado João Dias apontou duas prioridades ao novo ministro: acabar com o “desinvestimento crónico” do SNS e valorizar as carreiras dos profissionais de saúde

O PCP considerou esta sexta-feira que mais importante do que a escolha de Manuel Pizarro para ministro da Saúde é aquilo que vai fazer naquela área e apontou como prioridade acabar com “subfinanciamento crónico” do SNS.

Contactado pela Lusa, o deputado comunista João Dias disse que “mais importante do saber quem vem, importa saber o que vem com estes novos responsáveis do Ministério da Saúde”.

O dirigente comunista acrescentou que até hoje o Governo socialista demonstrou que “não quer fazer aquilo que é necessário” para que o Serviço Nacional de Saúde (SNS) assegure a resposta necessária à população.

João Dias apontou duas prioridades ao eurodeputado socialista e antigo secretário de Estado da Saúde que vai ser o sucessor de Marta Temido: acabar com o “desinvestimento crónico” do SNS e valorizar as carreiras dos profissionais de saúde.

“É necessário restabelecer as carreiras dos profissionais de saúde, carreiras estáveis com remunerações justas, que permitam a sua realização pessoal e profissional, com um estímulo que nós defendemos – e que este Governo não tem querido defender – que é à dedicação exclusiva”, completou o deputado.

O primeiro-ministro, António Costa, propôs ao Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, a nomeação do eurodeputado socialista Manuel Pizarro para o cargo de ministro da Saúde, em substituição de Marta Temido.

“Na sequência da proposta do primeiro-ministro, o Presidente da República conferirá posse sábado, ao novo ministro da Saúde, Manuel Francisco Pizarro de Sampaio e Castro, pelas 18:00, no Palácio de Belém”, lê-se numa nota publicada na página oficial da Presidência da República.

Manuel Pizarro foi secretário de Estado da Saúde no segundo executivo liderado por José Sócrates. Na altura era Ana Jorge a ministra.

No plano político, Manuel Pizarro foi por duas vezes candidato derrotado a presidente da Câmara do Porto, é o líder da Federação do Porto do PS e foi nono na lista de candidatos a eurodeputados socialistas nas últimas eleições para o Parlamento Europeu.

Mais recentemente, substituiu Carlos Zorrinho na liderança dos deputados do PS no Parlamento Europeu.

Marta Temido, de 48 anos, pediu a demissão de ministra da Saúde no passado dia 30 de agosto, mas António Costa pediu-lhe para se manter em funções mais algumas semanas até concluir a aprovação do diploma que regulamenta o Serviço Nacional de Saúde (SNS).

Partidos

Mais Partidos

Patrocinados