Mais de 200 crianças raptadas de escola na Nigéria, presidente mobiliza exército. Amnistia fala em 400 raptos na última semana

CNN Portugal , JAV
9 mar, 08:57
Militar nigeriano

Mais de 400 pessoas, sobretudo mulheres e crianças, foram raptadas na última semana por alegados elementos do Boko Haram no país, indica a ONG. Raptos têm lugar quase uma década depois de mais de 270 alunas terem sido levadas pelos jihadistas de uma escola de Chibok; algumas continuam desaparecidas até hoje

O presidente da Nigéria, Bola Ahmed Tinubu, destacou na sexta-feira as tropas do país para resgatarem as mais de 250 crianças que foram raptadas por um homens armados de uma escola no noroeste do país, naquele que é já um dos maiores raptos em massa dos últimos anos na Nigéria.

As autoridades do estado de Kaduna confirmaram o rapto de mais de duas centenas de crianças da escola Kuriga, mas não conseguiram adiantar de imediato o número exato de vítimas. Segundo residentes locais, pelo menos uma pessoa morreu durante o ataque de quinta-feira.

Segundo Sani Abdullahi, professor da escola Kuriga no distrito de Chikun, os funcionários do estabelecimento conseguiram salvar várias crianças à chegada dos homens armados ao local. A mesma fonte indica que 187 alunos foram levados pelos atacantes de um edifício e 100 de outro edifício. De acordo com outros três residentes locais, entre 200 e 280 crianças e professores foram raptados.

O ataque aconteceu “de manhã muito cedo”, quando se ouviram os primeiros tiros. “Antes de darmos conta eles já estavam a reunir as crianças”, diz Musa Mohammed, citado pela AFP. “Imploramos ao governo, todos nós estamos a implorar que nos ajudem com a segurança.”

O rapto é o segundo no espaço de uma semana no país, onde gangues criminosos armados continuam a atacar casas e escolas de várias localidades e em autoestradas, para raptarem crianças e adultos e depois pedirem grandes somas de dinheiro em troca da sua libertação. Há uma semana, um ataque a um campo para pessoas deslocadas no estado de Borno também culminou no rapto em massa de um número indefinido de pessoas.

Segundo a Amnistia Internacional num relatório divulgado este sábado, mais de 400 pessoas, na sua maioria mulheres e crianças, foram raptadas por alegados membros da organização jihadista Boko Haram no estado de Borno na última semana.

Num comunicado divulgado na sexta-feira, o presidente Tinubu disse ter recebido “informações das chefias de segurança sobre dois incidentes”, dizendo-se “confiante de que as vítimas serão resgatadas”.

“Nada mais do que isso é aceitável para mim e para as famílias dos cidadãos raptados. A Justiça será feita de forma decisiva”, adiantou o presidente, que desde que foi eleito tem prometido tornar a Nigéria mais segura e assegurar mais investimento estrangeiro no país.

Os dois raptos têm lugar 10  anos depois de o Boko Haram ter raptado 276 alunas de uma escola de Chibok, também no estado de Borno, em abril de 2014, um caso que angariou atenção mediática global. Quase uma década depois, algumas dessas alunas continuam desaparecidas.

Relacionados

África

Mais África

Mais Lidas

Patrocinados