Nagrelha, 36 anos: quem foi o músico cujo funeral obrigou a uma operação policial nunca antes vista em Angola

CNN Portugal , MM, com Lusa
22 nov, 18:51
Nagrelha Dos Lambas

Morreu uma pessoa e mais de 30 ficaram feridas durante as cerimónias fúnebres

Nagrelha era um dos nomes da atual geração de músicos de Angola que mais gente atraem aos palcos e mais gente movimentavam nas ruas. Morreu na última sexta-feira, vítima de cancro no pulmão, e o seu funeral obrigou a uma operação policial nunca antes vista, com mais de 800 agentes mobilizados. Uma pessoa morreu e mais de 30 ficaram feridas no funeral que se realizou esta terça-feira

Joelson Caio Mendes era também conhecido como Nanã. Filho de pai santomense e mãe angolana, foi criado pela mãe e pelos tios no bairro do Sambizanga. Era casado com a bailarina Weza Mendes.

Tinha 36 anos e iniciou a carreira na música como membro do grupo Os Lambas. Autointitulava-se “Estado-maior” do kuduro.

Em 2017 lançou o primeiro álbum a solo, um disco com o título “Arquitecto da Paz”, em homenagem ao ex-Presidente da República José Eduardo dos Santos.

A dimensão do nome da Nagrelha em Angola era tal que o Ministério da Cultura e Turismo do país emitiu uma nota de pesar lamentando a perda do músico “com maior legião de fãs em Angola”. O ministro da Cultura e Turismo, Filipe Zau, disse que "foi com profunda dor e consternação" que tomou conhecimento da morte do músico.

“Nagrelha é o kudurista com maior legião de fãs em Angola, um dos fundadores do grupo ‘Os Lambas’. Com uma forma de cantar peculiar, conquistou o Kuduro no ano de 2000”, sublinha a nota do Ministério da Cultura e Turismo. “Nesta hora de dor e luto, o ministro da Cultura e Turismo, Filipe Silvino de Pina Zau, em nome dos responsáveis e funcionários do seu departamento ministerial, endereça à família enlutada e amigos os sentimentos de pesar”, salienta a nota .

O emblemático cantor foi autor de vários temas de sucesso como “Não me Tarraxa Assim”, “Wamona”, “Katronga Violenta”, “Dizumba Grande”, “Banzelo”, “Toque do Nana”, “Comboio”, “Provou e Gostou”, entre outros temas musicais.

O secretariado do bureau político do Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA), partido em cujos comícios o artista participava com regularidade, deixou uma mensagem de condolências, elogiando a forma ímpar e inigualável de ser e estar de Nagrelha, que inspirou e mobilizou muitos artistas a aderirem ao estilo kuduro.

Para o MPLA, o músico notabilizou-se como um dos mais carismáticos integrantes do grupo musical Os Lambas, responsável pela introdução de um novo paradigma no estilo musical kuduro, marcado por composições com apreciável rima e elevada capacidade criativa, que catapultaram o grupo ao patamar dos melhores no estilo em referência. 

Também o grupo parlamentar da União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA), principal partido da oposição angolana, endereçou votos de pesar à família, amigos, fãs e ao Ministério da Cultura, considerando Nagrelha  um ícone da música popular, especialmente da juventude angolana. “Falar da morte de Nagrelha é falar de uma dor que trespassa os corações de milhares de angolanos jovens e adultos amantes do kuduro.”

“Carismático, criativo e excêntrico, filho do povo e um dos símbolos da juventude que não se resigna ante as dificuldades sociais e económicas, Nagrelha deixa um grande reportório musical que o imortaliza e mantém presente na memória cultural de Angola”, salienta a UNITA.

 Em dezembro do ano passado, Nagrelha venceu a primeira edição do reality show Luta Pela Fama.

Música

Mais Música

Patrocinados