"Olhando para o todo não há um problema" no crédito habitação, há em casos concretos, diz Miguel Maya

Agência Lusa , DCT
27 jul 2023, 18:37
Miguel Maya, presidente do BCP (José Sena Goulão/Lusa)

Miguel Maya foi ainda questionado sobre as declarações do ministro das Finanças, Fernando Medina, de que o Governo está a trabalhar com os bancos para mitigar a subida das prestações do crédito.

O presidente executivo do BCP disse esta quinta-feira que não há um problema generalizado no crédito à habitação, mas problemas específicos para os quais é preciso soluções, e considerou que já é prática no BCP propor taxa fixa.

Em conferência de imprensa de apresentação dos resultados semestrais, Miguel Maya afirmou que, "olhando para todo, não há um problema [no crédito à habitação devido à subida das taxas de juro], mas olhando cada caso concreto há problemas” e aí é que preciso "encontrar soluções que permitam que os problemas sejam ultrapassados".

Esta análise de que problemas no crédito à habitação existem mas são pontuais, pois em geral as famílias estão a conseguir pagar os empréstimos, tem sido comum aos presidentes dos principais bancos.

Na semana passada, o presidente da Caixa Geral de Depósitos (CGD), Paulo Macedo, considerou que “não há um problema de crédito à habitação transversal na sociedade portuguesa”, mas em “algumas franjas”.

Miguel Maya foi ainda questionado sobre as declarações do ministro das Finanças, Fernando Medina, de que o Governo está a trabalhar com os bancos para mitigar a subida das prestações do crédito.

Em resposta, o presidente do BCP disse que isso não altera a prática do banco, pois já propõe taxa fixa, quer para novos créditos, quer para quem renegoceia o crédito.

"O que quer que diga o Governo, o ministro das Finanças, não altera nada, porque isso já é prática. (..) Taxa fixa temporária é o que chamamos de taxa mista, nada disto é novo", afirmou.

Economia

Mais Economia

Patrocinados