Joias para a princesa Diana, glamour e... um roubo. Joalheiro famoso é acusado de planear assalto à própria loja

CNN Portugal , MCP
9 mai, 09:22
Germani

Michel Germani é acusado de planear e coordenar o roubo na própria joalheria como forma de enganar a seguradora em mais de dois milhões de euros

Michel Elias Germani é um conhecido joalheiro de Sydney com um percurso notável, ou não tivesse já criado peças para a princesa Diana, para Elizabeth Taylor e para a família real saudita. No entanto, a última criação não foi tão apreciada: terá encenado um assalto à própria loja. A farsa não foi imediatamente descoberta, mas o empresário acabou por ser acusado de planear e coordenar o roubo na própria joalheria como forma de enganar a sua seguradora em mais de dois milhões de euros.

De acordo com o Guardian, o suposto crime aconteceu em janeiro. Germani, de 65 anos, disse à polícia que tanto ele como a sua funcionária foram ameaçados por dois homens com uma arma branca que se fizeram passar por clientes na sua loja. A dupla apontou uma faca ao funcionário, exigiu acesso ao cofre, amarrou os pés e mãos do dono da joalheria e fugiu com uma grande quantidade de joias.

Entretanto, há um mês, duas pessoas, Shanel Tofaeono e Mounir Helou, foram presas pelo envolvimento nesse roubo. Mas depois do interrogatório a polícia percebeu que existia ali alguma coisa que “simplesmente não fazia sentido”, disse um membro das autoridades aos jornalistas. 

Depois disso, nesta segunda-feira, a polícia prendeu Germani alegando que o roubo não passou de uma farsa. Um dia depois, o suspeito enfrentou o tribunal local de Downing Center, na cidade australiana, tendo a polícia alegado que ele estava envolvido no “planeamento e coordenação do roubo e tentativa de fraude a uma seguradora”.

 Michel Germany ( Foto: Michel Germani Jewellery)


A polícia disse à imprensa que a funcionária, que foi ferida no ataque, estava "absolutamente traumatizada" e não tinha conhecimento do alegado plano.

“Foi ameaçada com violência e com uma faca, foi amarrada com braçadeiras nos pés e nas mãos… Ea acreditava que era um roubo genuíno”, assegurou.

Germani foi acusado de roubo agravado e privação de liberdade de uma pessoa, tentativa de obter vantagem financeira desonesta por engano, publicação de material falso ou enganoso para obter propriedade e participação num grupo criminoso e contribuição para atividades criminosas.

O joalheiro não fez nenhum pedido de fiança e foi-lhe exigido que comparecesse no tribunal para uma revisão da fiança na quinta-feira.

Relacionados

Mundo

Mais Mundo

Patrocinados