Quem é (e o que defende) Maxwell Frost, o primeiro membro da 'Geração Z' eleito para o Congresso

9 nov, 09:42
Maxwell Frost

Afirma vir de uma geração que passou por mais simulacros de tiroteios em massa do que por simulacros de incêndio. Tem 25 anos e promete lutar pela justiça social, racial e económica

Contrariando a tendência de vitórias dos republicanos na Florida, o candidato democrata Maxwell Alejandro Frost, de 25 anos, tornou-se o primeiro membro da Geração Z a ganhar um lugar no Congresso dos Estados Unidos. Frost, um ativista pela justiça social e pela reforma da legislação sobre posse e uso de armas, conseguiu bater o republicano Calvin Wimbish.

Apesar desta vitória, a "maré vermelha" na Florida é um facto: Marco Rubio foi reeleito como senador, e na Câmara dos Representantes os republicanos conquistaram 20 lugares, contra apenas 8 dos democratas. Até agora, a correlação de forças, embora favorável aos republicanos, era mais equilibrada (16-11).

Mas a vitória de Maxwel Frost significa que o próximo Congresso (cuja idade média era de 58 anos) incluirá um membro da Geração Z - faixa etária cujos membros mais velhos nasceram em 1997 e tornaram-se recentemente elegíveis para a Câmara, que tem idade mínima de 25 anos. Houve ainda outra candidata da Geração Z nas eleições desta terça-feira, Karoline Leavitt, uma republicana, que perdeu no primeiro distrito de New Hampshire.

"A perspetiva que trago como jovem, como jovem negro, como jovem negro latino do sul, é importante", afirmou Frost em entrevista ao The New York Times na noite de terça-feira. Mas acrescentou que se vê como “uma pequena peça de um quebra-cabeças realmente grande” composto por membros da Geração Z que se estão a tornar mais influentes em muitas áreas da sociedade.

Maxwell Frost na Pride Parade em Orlando, na Flórida, a 15 de outubro de 2022 (Getty)

O jovem democrata assumiu como primeira prioridade colocar os seus escritórios e funcionários distritais em funcionamento para ajudar os eleitores que ainda estão a sofrer com a destruição provocada pelo furacão Ian - para "mostrar-lhes que o governo pode trabalhar para eles", afirmou.

Além de defender o aumento do salário mínimo, é a favor da jurisprudência de Roe vs. Wade - que defende a proteção da liberdade individual das mulheres grávidas e lhes garantia a opção de fazer um aborto sem alguma restrição governamental - medidas apoiadas essencialmente entre democratas eleitos. Aliás, Frost apoia muitas das propostas da ala esquerda do partido, incluindo assistência médica universal e a expansão do Supremo Tribunal.

A experiência de Maxwel Frost é essencialmente no ativismo, incluindo o trabalho com o movimento anti-violência armada liderado por estudantes "March for Our Lives", cuja campanha se concentrou em questões como a violência armada e as alterações climáticas - que são de particular importância para muitos jovens eleitores. Numa entrevista em agosto, argumentou que trouxe uma perspetiva diferente para a política por causa da era em que atingiu a maioridade: uma era de tiroteios em massa, desastres naturais cada vez mais frequentes e ampla agitação social.

"Venho de uma geração que passou por mais simulacros de tiroteios em massa do que simulacros de incêndio”, afirmou em agosto, acrescentando: "Isso é algo que a minha geração teve de enfrentar: ter medo de ir à escola, ter medo de ir à igreja, ter medo de estar em comunidade. E isso dá-me um sentido de urgência."

E.U.A.

Mais E.U.A.

Patrocinados