Marrocos ativa plano para recuperar 50 mil casas após sismo que matou quase três mil pessoas

Agência Lusa , AM
14 set 2023, 20:56

Reunião de trabalho foi presidida pelo rei Mohamed VI

Marrocos ativou esta um plano de ajuda direta às pessoas afetadas pelo terramoto que abalou o país na semana passada, com pagamentos até 140 mil dirhams (12.800 euros) para reabilitar total ou parcialmente 50 mil casas danificadas.

Num comunicado divulgado pela agência estatal MAP, o Palácio Real informa que este plano, aberto a contribuições de “países irmãos ou amigos”, foi ativado durante uma reunião de trabalho presidida pelo rei Mohamed VI, na qual foi apresentada por uma comissão interministerial a primeira versão do programa de realojamento dos afetados.

Este plano refere-se a aproximadamente 50 mil casas total ou parcialmente desabadas nas cinco províncias atingidas pelo terremoto, que afetou principalmente muitas cidades e aldeias do Alto Atlas marroquino.

Os pagamentos terão um valor de entre 80 mil e 140 mil dirhams (7.300 e 12.800 euros).

O sismo ocorrido na sexta-feira com epicentro perto de Marraquexe, e que as autoridades marroquinas disseram ter tido uma magnitude de 7,0 na escala de Richter, causou 2.946 mortos e 5.674 feridos, segundo o balanço mais recente do Governo de Rabat.

Este sismo é o mais mortífero em Marrocos desde aquele que destruiu Agadir, na costa oeste do país, em 29 de fevereiro de 1960, causando entre 12.000 e 15.000 mortos, um terço da população da cidade.

O tremor de terra, cujo epicentro se registou na localidade de Ighil, 63 quilómetros a sudoeste da cidade de Marraquexe, foi sentido em Portugal e Espanha.

Relacionados

África

Mais África

Mais Lidas

Patrocinados