«Era mais sensato guardar o ponto do que correr riscos»

9 dez 2018, 13:16
Paulo Sérgio no Portimonense-Benfica (Filipe Farinha/Lusa)

Paulo Sérgio, treinador do Portimonense, após o empate em casa com o Famalicão

Declarações do treinador do Portimonense, Paulo Sérgio, em conferência de imprensa, após o empate ante o Famalicão (1-1), em jogo da 13.ª jornada da I Liga:

«Nós fomos muito ‘soft’ [macios] nos momentos sem bola no primeiro tempo. Estava fácil para o Famalicão ligar o jogo para o ataque em zona central, estava muito fácil e deu que o Famalicão dominou o primeiro tempo. Tivemos, nesse primeiro tempo, quatro boas saídas, principalmente pelo corredor esquerdo, a ameaçar também o nosso golo, mas sentia-se que o domínio e maior controlo do jogo estava nas mãos do Famalicão, confortável com a vantagem, num lance muito mal defendido. Um primeiro tempo longe daquilo que eram as nossas ambições e daquilo que tínhamos preparado.»

«Alterámos ao intervalo e falámos disso mesmo. E a resposta foi boa, foi muito melhor. Acho que somos nós que mandamos [no jogo] até ao momento da expulsão. Conseguimos um golo, a coisa prometia, estávamos a embalar, à procura de tentar virar o resultado, e o momento da expulsão mandou-nos segurar esse ponto, porque o campeonato faz-se de pontos.»

«Refrescámos os corredores para poder fechar a largura, porque tínhamos a zona central bem preenchida, para não entrarem por dentro, e porque íamos convidar o Famalicão a pôr bolas na zona lateral, e também com vista a uma possível fugida. Houve ali duas ameaças, mas era muito mais sensato guardar o ponto do que correr grandes riscos naquele momento, defrontando uma equipa de grande qualidade. E nós também temos de ter a humildade de perceber que este ponto, nestas circunstâncias, foi uma conquista.»

Relacionados

Patrocinados