«Aquele período de seis ou sete minutos tornou o jogo ingrato»

18 fev, 21:44
Benfica-Estoril (PAULO NOVAIS/LUSA)

Vasco Seabra, treinador do Estoril, reagiu ao desaire caseiro frente ao Gil Vicente (1-3)

Vasco Seabra, treinador do Estoril, em declarações na sala de imprensa do António Coimbra da Mota, após a derrota por 3-1 frente ao Gil Vicente, em jogo da 22.ª jornada da Liga:

«Naturalmente que a expulsão nos retirou capacidade, porque perder um jogador ainda nos retira mais capacidade para podermos tentar aquilo que nós queríamos, reverter, mas penso que o período de seis, sete minutos em que nós tivemos entre sofrermos o golo do empate, a expulsão do Rodrigo Gomes e, logo em seguida, o segundo golo do Gil, é um período curto que torna o jogo ingrato para nós.»

[Michel e Vinícius Zanocelo formaram dupla inédita no meio-campo]: «Foram capazes de ter bola e, num ou outro momento, e em momentos diferentes, perderam um pouco de confiança, mas também faz parte desse crescimento e dessa estabilidade. Penso que deram indicações muito positivas e capazes de nos darem confiança para quando tiverem de jogar.

Não considero que o nosso controlo de profundidade tenha sido mau, porque durante todo o jogo conseguimos anular 95 por cento desses momentos, conseguimos estar reagrupados e curtos, a conseguir controlar os momentos do jogo. Aquilo que fizemos da primeira para a segunda parte foi tentar ter a bola mais coberta por mais vezes na segunda parte e penso que isso foi conseguido.

Na semana passada, a derrota [ante o Boavista] custou porque senti que poderíamos ter feito mais em termos do que era a nossa proatividade, capacidade para conseguirmos sair do jogo com vitória e neste jogo a equipa bateu-se, lutou, trabalhou muito e penso que nas incidências do jogo este acabou por não cair para nós.»

Relacionados

Patrocinados