Boavista-FC Porto, 0-1 (crónica)

Vítor Hugo Alvarenga , Estádio do Bessa, no Porto
20 mar, 22:49

Líder supera a prova de obstáculos

O FC Porto superou uma prova de obstáculos para vencer o dérbi da Cidade Invicta no Estádio do Bessa, reduto do Boavista. Fábio Vieira, que substituiu Mehdi Taremi no onze portista, marcou o único golo do encontro (0-1), ainda na primeira passe, a passe de Evanilson.

Triunfo importantíssimo e feliz para a equipa de Sérgio Conceição, antes da paragem para os compromissos das seleções nacionais. No final de um ciclo extremamente intenso, os dragões lograram manter a vantagem de seis pontos na frente da tabela classificativa da Liga.

A preparação do FC Porto para o dérbi da cidade Invicta assemelhou-se a uma soma de todos os males. Para além do afastamento da Liga Europa, na sequência de um empate em Lyon, os dragões ficaram retidos mais um dia em França devido a uma avaria no avião.

A equipa portista regressou a Portugal na sexta-feira, treinou no sábado e surgiu no Estádio do Bessa com um onze renovado, após as alterações promovidas por Sérgio Conceição no desafio europeu. Porém, entre a chegada ao recinto axadrezado e a entrada no relvado para o aquecimento, o treinador portista perdeu um titular.

Taremi travado no balneário do Bessa

Mehdi Taremi realizou um teste à covid-19 devido à convocatória para a seleção iraniana e foi informado sobre o resultado positivo quando já estava no balneário do Bessa. O avançado saiu do onze e abriu caminho para Fábio Vieira.

Sérgio Conceição baralhou as marcações contrárias com um 4x3x3 em que Pepê fazia companhia à dupla de avançados e Otávio baixava para reforçar o setor intermediário. O líder do campeonato entrou a todo o gás, com uma dinâmica interessante, mas Vitinha manteve a falta de eficácia demonstrada em Lyon. Em 16 minutos, o médio desperdiçou duas belas oportunidades de cabeça.

Para completar o leque de complicações para o FC Porto, Pepê ficou lesionado com alguma gravidade após choque aéreo com Porozo, abandonando o terreno de jogo em maca. Galeno, com o seu futebol muito mais lateralizado, entrou em campo.

O azar portista acabou por essa altura. Após a meia-hora de jogo (33m), Otávio colocou de cabeça na área e Evanilson inventou o lance de golo, fugindo a Porozo para assistir Fábio Vieira. Sem marcação ao centro, o jovem finalizou de pé esquerdo.

Do outro lado, diga-se em abono da verdade, Petit não tinha razões para sorrir. O Boavista demonstrou incapacidade para incomodar Diogo Costa na primeira parte, Javi García voltou a sair precocemente devido a lesão (21m) e os protestos para o segundo cartão amarelo a Vitinha (29m), ainda antes do 1-0, não surtiram efeito.

A formação axadreza entrou na segunda metade do encontro com outra postura, assumindo a iniciativa de jogo, mas foi o FC Porto a ter a oportunidade mais flagrante, já após o lance em que Mbemba arriscou a expulsão por entrada muito dura sobre Yusupha (57m). Abascal, imprudente na abordagem aos lances, cometeu grande penalidade sobre Fábio Vieira (62m).

Festival de oportunidades falhadas

Evanilson assumiu a cobrança do castigo máximo, mas Bracali evitou o 2-0 com uma defesa de qualidade. A caminho dos 41 anos, um dos jogadores mais velhos a atuar nas primeiras ligas europeias ainda negou o festejo a Fábio Vieira, na recarga.

O Boavista foi respondendo com crescente intensidade e desperdiçou três grandes ocasiões. Ao minuto 76, Gorré atirou ao lado, em excelente posição, ao segundo poste. Não se verificava a posição irregular assinalada pela equipa de arbitragem. Já perto do minuto 90, foi Musa a cabecear à trave, após cruzamento de Gorré. Por fim, nos descontos, Diogo Costa negou o golo a Porozo com uma defesa providencial.

O FC Porto conseguiu manter a vantagem até final e Evanilson, pelo meio, ainda viu o poste travar o golo da tranquilidade para os dragões (80m), na sequência lance soberbo de João Mário. Triunfo suado e importante do líder do campeonato no Estádio do Bessa.

Relacionados

Patrocinados