«Uma das ilações deste jogo é que a eliminatória da Taça está aberta»

Ricardo Jorge Castro , Estádio do Dragão, Porto
8 abr, 00:19

FC Porto-V. Guimarães, 1-2 (reportagem)

Declarações do treinador do Vitória, Álvaro Pacheco, na sala de imprensa do Estádio do Dragão, após o triunfo por 2-1 ante o FC Porto, em jogo da 28.ª jornada da I Liga:

[Vitória a sete pontos de ser o melhor Vitória de sempre na Liga e venceu no Dragão quase seis anos depois. O que falta para ainda ser mais feliz em Guimarães:]

«É continuar a ver os meus jogadores a jogar de forma apaixonada. O que eu quero é que estes jogadores acreditem, isso vai fazer os jogadores passar para outro nível. O plantel tem jogadores com capacidade tremenda e têm a oportunidade para demonstrar no Vitória a qualidade que têm.»

[Alterações na equipa, que não começou com Tomás Ribeiro e Mangas, lançados para a 2.ª parte:]

«Esses dois jogadores saíram por gestão. Tínhamos indicações de que era importante gerir e que só podiam, provavelmente, estar em condições de jogar 45 minutos. Por isso, fizemos essas duas alterações. Metemos o Mangas para a segunda parte porque o FC Porto tinha acabado de fazer o 2-1, o jogo ia manter este ritmo e intensidade, eles estavam a forçar muito o jogo da profundidade, principalmente a criar superioridade numérica nas laterais e com o Afonso com amarelo, achei pertinente meter o Mangas. Depois acabou por sentir um desconforto e teve de sair.»

[Se este resultado dá mais esperança para dar a volta nas meias-finais da Taça:]

«Sim, acho que uma das ilações deste jogo é que a eliminatória está aberta. Acreditávamos que vínhamos aqui discutir o acesso à final. Vamos ter de sofrer, jogar a um nível alto, ao nível que jogámos hoje e ir em busca da felicidade. E só há uma forma, sermos Vitória e acreditar.»

Relacionados

Patrocinados