Líder parlamentar do PSD recusa comentar saída de Maló de Abreu para o Chega: "Só ele pode responder"

Agência Lusa , ARC
11 jan, 14:29
Joaquim Miranda Sarmento (Lusa/Tiago Petinga)

Miranda Sarmento rejeita que as preocupações do ex-deputado social-democrata tenham sido negligenciadas pelo partido

O líder parlamentar do PSD, Joaquim Miranda Sarmento, recusou, esta quinta-feira, comentar a decisão de António Maló de Abreu de sair do PSD e da bancada, passando a deputado não inscrito até ao final da legislatura.

“Não tenho de me pronunciar sobre isso, o que tinha a dizer disse no grupo parlamentar. Foi uma decisão dele, não tenho que comentar uma decisão que é pessoal de um deputado que já não pertence ao grupo parlamentar e que só ele pode responder”, disse aos jornalistas, à saída da última reunião da bancada do PSD – o plenário será dissolvido na próxima segunda-feira 

Questionado se o PSD está preocupado com as notícias que dão conta de que o Chega conta com António Maló de Abreu para as suas listas de candidatos para as próximas legislativas, Miranda Sarmento voltou a dizer tratar-se de uma decisão pessoal.

“Só ele pode responder pelas decisões que tomou até ao momento e por aquilo que possam vir a ser as suas decisões no futuro”, disse.

   

Perante os deputados, segundo relatos feito à Lusa da reunião, o líder parlamentar do PSD rejeitou que as preocupações do ex-deputado social-democrata Maló de Abreu tenham sido negligenciadas pela bancada e recordou que foi até ele que abriu um debate sobre saúde na semana passada.

Um dos argumentos invocados pelo deputado Maló de Abreu, eleito nesta legislatura pelo círculo da Europa, era de que, apesar de vários pedidos seus, nunca foi agendado em plenário um debate sobre a situação das comunidades portuguesas.

Esta quinta-feira, o líder parlamentar argumentou que esse debate não chegou a ser agendado devido à dissolução do parlamento e negou qualquer problema pessoal com o deputado, considerando até injustas algumas das críticas feitas.

Entretanto, questionado pela Lusa sobre uma notícia do Observador de que o Chega conta com António Maló de Abreu para as suas listas de candidatos para as próximas legislativas, o agora deputado não inscrito rejeitou que a sua saída do PSD tenha qualquer relação “com hipotéticos ou eventuais convites”.

“Nego qualquer ida para qualquer partido”, afirmou Maló de Abreu.

Sobre a possibilidade de integrar listas de deputados por outro partido, como independente, o médico-dentista, eleito pela primeira vez deputado em 2019 por Coimbra, respondeu: “É um assunto que não se me coloca.”

Numa nota à Lusa, António Maló de Abreu justificou na quarta-feira a sua saída do PSD e da bancada social-democrata por não se rever na estratégia da direção do partido e “na inação” da liderança da bancada, nomeadamente quanto às comunidades portuguesas. 

Relacionados

Partidos

Mais Partidos

Patrocinados