Nem para menino, nem para menina. Lego vai acabar com estereótipos de género nos seus produtos

14 out, 11:02
Exposição da Lego tem concerto dos Xutos & Pontapés em miniatura
Exposição da Lego tem concerto dos Xutos & Pontapés em miniatura

Decisão foi tomada após estudo encomendado pela empresa que mostra que 76% dos pais encorajariam os seus filhos a brincar com produtos da Lego, face a apenas 24% que o fariam com as filhas

PUB

A Lego anunciou que vai acabar com os estereótipos de género nos seus produtos. Em comunicado, a empresa dinamarquesa justifica a decisão com um estudo, conduzido em sete países e que abrangeu pais e crianças, feito em parceria com o Geena Davies Institute on Gender in Media.

Segundo a investigação, os pais são seis vezes mais propensos a pensar nas profissões de atleta e cientista como masculinas (85% para 15%), disparidade que aumenta no caso da engenharia (89% para 11%).

PUB

O estudo revelou também que 76% dos pais participantes encorajariam os seus filhos a brincar com produtos da Lego, face a apenas 24% que o fariam com as filhas.

A empresa aproveitou a divulgação dos resultados para lançar a sua nova campanha, denominada “Ready for Girls”, que “celebra as raparigas que reconstroem o mundo através da resolução criativa de problemas”.

Apesar de muitos pais pensarem que a marca Lego é um bom exemplo de inclusividade, os nossos produtos ainda são considerados mais relevantes para rapazes do que para raparigas”, pode ler-se no site oficial da empresa.

PUB
PUB
PUB

O estudo dá conta, também, de estereótipos que afetam negativamente os rapazes. 71% das crianças do sexo masculino têm medo de ser gozadas por usar brinquedos associados ao outro género, preocupação que apenas 42% das raparigas confessaram ter.

A Lego está empenhada em tornar os seus produtos mais inclusivos e assegurar que as ambições criativas das crianças - tanto agora como no futuro - não sejam limitadas por estereótipos de género. Sabemos que há trabalho a fazer e é por isso que, a partir de 2021, iremos trabalhar em estreita colaboração com o Geena Davis Institute on Gender in Media e a UNICEF para assegurar que os produtos e o marketing da LEGO sejam acessíveis a todos e livres de preconceitos de género e estereótipos prejudiciais", refere a empresa.

A Lego ainda não especificou como vai traduzir-se esta decisão em efeitos concretos nos seus produtos. 

Relacionados

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.

Empresas

Mais Empresas