Al-Khelaifi lança 'bicada' ao Barça: «Injeções mágicas não são sustentáveis»

23 set, 15:37
1.º: Nasser al-Khelaifi (AP/Dave Thompson)

Presidente do Paris Saint-Germain discursou na Assembleia da Associação de Clubes Europeus

O presidente do Paris Saint-Germain, Nasser Al-Khelaifi lançou uma 'bicada' ao Barcelona na Assembleia da Associação de Clubes Europeus (ECA), na qual mostrou-se agradado pelas mudanças económicas que estão a acontecer no futebol europeu.

«As novas regras de sustentabilidade financeira são um avanço positivo. As regras controlam os custos, incentivam o investimento e novos investidores e ajudam a garantir a sustentabilidade do futebol. Contudo, temos de ter cuidado, níveis perigosos de dívidas e injeções mágicas de capital não são um caminho sustentável. Temos de pensar a longo prazo», afirmou Al-Khelaifi durante o seu discurso.

Al-Khelaifi revelou sua satisfação pelas mudanças no formato da Liga dos Campeões, a partir de 2024, que segundo ele, aconteceu devido ao acordo que associação estabeleceu com a UEFA.

«A ECA também está a trabalhar, em estreita colaboração com a UEFA, num novo formato para a competição masculina a partir de 2024. Os jogos serão mais emocionantes e as competições mais inclusivas. As nossas receitas vão crescer. Já o vimos em França e no Reino Unido. E nos Estados Unidos o nosso crescimento é superior a 150%, com a venda de direitos espanhóis», admitiu o dirigente 48 anos.

Nasser Al-Khelaifi confidenciou ainda uma novidade: a renovação da parceria com organismo máximo do futebol europeu.

«A nosso acordo com a UEFA é o desenvolvimento mais importante do futebol europeu nos últimos tempos. Baseia-se numa relação de confiança e num exemplo de reforma progressiva. Como disse há um ano, foi fundamental para os clubes construírem uma relação forte com a UEFA. É um grande sucesso e hoje tenho o prazer de anunciar que a UEFA e a ECA assinaram uma carta de intenção para celebrar um novo memorando de entendimento até 2030. Os clubes têm mais voz e o nosso valor comercial cresceu, graças ao presidente Ceferin», vincou.

Relacionados

Patrocinados