Legislativas: Cotrim de Figueiredo concorda com “diagnóstico” do PSD, mas diverge sobre “terapia”

Agência Lusa , DCT
20 dez 2021, 15:03
Presidente do Iniciativa Liberal (IL), João Cotrim de Figueiredo
Presidente do Iniciativa Liberal (IL), João Cotrim de Figueiredo

Segundo o líder liberal, é preciso ser “muito mais determinado” e “muito mais assertivo nas políticas alternativas” que devem ser propostas face ao Governo do PS

PUB

O presidente da Iniciativa Liberal concordou esta segunda-feira com o “diagnóstico” sobre o estado do país feito por Rui Rio no Congresso do PSD, divergindo sobre a “terapia” proposta, que disse ter de ser “muito mais determinada” e assertiva.

Falando aos jornalistas no Palácio de Justiça antes de entregar as listas de candidatos a deputados à Assembleia da República pelo círculo de Lisboa, João Cotrim de Figueiredo reagiu ao 39.º Congresso do PSD, que decorreu este fim de semana em Santa Maria da Feira (Aveiro), afirmando que “esperava mais”, sobretudo no que se refere ao discurso de encerramento de Rui Rio.

PUB

Embora tenha coincidido no diagnóstico – um diagnóstico bastante duro – não houve realmente propostas concretas que daí tenham saído. E, portanto, é um bom princípio que tenhamos um diagnóstico comum, é um bom princípio de conversa, relativamente à terapia, não podemos ter um diagnóstico de fratura exposta e depois a terapia ser cautelas e caldas de galinha”, referiu.

Segundo o líder liberal, é preciso ser “muito mais determinado” e “muito mais assertivo nas políticas alternativas” que devem ser propostas face ao Governo do PS.

PUB
PUB
PUB

Cotrim de Figueiredo descartou, no entanto, que essas divergências possam ter um impacto sobre um entendimento pós-eleitoral entre a IL e o PSD, salientando que, “quando se constrói uma alternativa”, é necessário focar-se “naquilo que é comum”, caso contrário, “não vai haver entendimento”.

PSD clarificou a sua posição ideológica, diz Cotrim de Figueiredo

Frisando que, no dia 30 de janeiro, os portugueses vão escolher “quanta força querem dar à Iniciativa Liberal para que possa estar numa eventual mesa de negociações”, Cotrim de Figueiredo considerou que a reunião magna social-democrata foi positiva porque permitiu ao PSD clarificar a sua “posição ideológica”.

Ao dizer que não é liberal, está a dizer exatamente às pessoas que têm ideias liberais, que confiam na nossa mensagem, que só têm uma alternativa, que é votar na IL”, indicou.

Cotrim de Figueiredo considerou assim que, à medida que “alguns dos partidos tomam as suas posições”, se destaca cada vez mais a “clareza, a coragem a determinação com que a Iniciativa Liberal defende as suas ideias”.

PUB
PUB
PUB

Obviamente que, num contexto de negociação, não levará avante em todas, evidentemente – é esse o significado da negociação – mas quem votar na IL faz aquilo já fizeram aqueles que votaram em 2019: entregar o seu voto e a sua confiança a alguém que vai honrar esse mandato, que vai defender na Assembleia da República exatamente aquilo que consta no seu programa”, disse.

Poucos minutos antes de entregar as listas no Palácio de Justiça -, João Cotrim de Figueiredo chegou ao local por volta das 12:45, estando o tribunal fechado para almoço até às 13:30 -, o líder liberal considerou que se trata de “um dia com certo simbolismo”, dado que a IL concorre à sua segunda eleição legislativa, esperando “dar um salto qualitativo importante”.

Cotrim de Figueiredo destacou que as listas da IL são compostas por “gente muito qualificada”, “nova”, designadamente no que se refere a independentes “que não estavam na atividade política” e que viram no projeto do partido “interesse e credibilidade suficiente para emprestarem o seu nome e o seu prestígio a estas candidaturas”.

PUB
PUB
PUB

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Partidos

Mais Partidos

Patrocinados