Hospital de Almada com restrições nas urgências de obstetrícia e ortopedia até segunda-feira

Agência Lusa , PP
31 jul, 19:33
Médico

Sindicato Independente dos Médicos (SIM) indicou que “as escalas dos médicos [daquelas especialidades] são insuficientes, e não estão reunidas as condições para receber os doentes”

O Hospital Garcia de Horta (HGO), em Almada, não está a receber doentes encaminhados pelo INEM nas urgências de obstetrícia até às 20:00 de hoje, e de ortopedia até às 08:00 de segunda-feira, indicou fonte sindical.

Contactada pela agência Lusa, Maria João Tiago, secretária regional do Sindicato Independente dos Médicos (SIM) indicou que “as escalas dos médicos [daquelas especialidades] são insuficientes [no HGO], e não estão reunidas as condições para receber os doentes”.

“Os médicos estão lá, mas só para tratar as urgências internas. O INEM está avisado”, acrescentou a dirigente sindical, indicando que no caso de um acidente, as ambulâncias que transportem os doentes com necessidade de tratamento de ortopedia, por exemplo, terão de se deslocar a outro hospital mais próximo.

De acordo com Maria João Tiago, esta situação “está a acontecer em vários pontos do país porque não tem havido capacidade de fixar os médicos”.

“A maior parte deles já fez até mais do que as 150 horas extra a que estão obrigados, porque o contexto vem do tempo da pandemia, e os médicos não podem trabalhar constantemente em exaustão”, apontou.

A dirigente sindical comentou ainda que o SIM tem vindo a reiterar que “todos os estudos sobre a matéria alertam que os médicos a trabalhar em estado de exaustão correm mais riscos de cometer erros”a tratar os doentes.

A Lusa tentou contactar a administração do hospital mas não foi possível até ao momento.

Saúde

Mais Saúde

Patrocinados