As 15 pequenas cidades mais bonitas da Europa. Uma é portuguesa (veja a escolha da CNN americana)

CNN , Julia Buckley
8 ago, 22:15
Guimarães, Portugal (Getty)

A CNN Portugal publica uma tradução de um texto publicado esta segunda-feira no site da sua parceira CNN americana, que escolheu as cidades pequenas mais bonitas da Europa. Incluindo uma no norte de Portugal.

Paris, Roma, Barcelona... As cidades da Europa são destinos da lista de desejos [dos americanos] e com razão. Mas as pequenas cidades do continente são também um sonho, com toda a bela arquitetura e grande parte da cultura que se encontra nas grandes cidades, mas com menos multidões para partilhá-las.

Eis algumas das mais bonitas pequenas cidades de toda a Europa, desde humildes cidades piscatórias até bases de poder medievais no topo das colinas.

Giethoorn, Países Baixos

Giethoorn, a Veneza holandesa 

Chamam-lhe a resposta holandesa a Veneza, mas falta a Giethoorn uma coisa crucial que a cidade italiana tem contra ela: o turismo excessivo. Tal como em Veneza, aqui a vida gira em torno da água - não há carros no centro, pelo que a única forma de se deslocar é a pé ou sobre a água.

Faça um passeio de barco pelas casas de colmo, assentes em ilhas cheias de turfa. Tem fome? Faça uma paragem no restaurante Hollands-Venetië, estrelado pela Michellin.

Guimarães, Portugal

Guimarães, a primeira capital portuguesa

Guimarães é crucial para a história de Portugal - foi nomeada a primeira capital do país no século XII, e o seu núcleo medieval permanece em grande parte intacto, cheio de conventos, grandes palácios antigos e um castelo em ruínas empoleirado no topo.

Como em todo o lado em Portugal, as padarias locais fazem um pastel de nata incrível, mas aqui deve experimentar a especialidade local: torta de Guimarães – um pastel recheado de abóbora e amêndoas moídas.

Roscoff, França

Roscoff é uma das cidades portuárias mais bonitas de França.


As cidades portuárias podem ser sujas. Mas não a encantadora Roscoff, no entanto. Fica situada na região francesa da Bretanha, que construiu a sua fortuna no comércio marítimo, incluindo a exportação para o Reino Unido das suas famosas cebolas cor-de-rosa.

Hoje em dia, é um centro de talassoterapia, utilizando água do mar para tratar condições médicas, bem como uma bela cidade bretã. Pequenos barcos de pesca andam no pequeno porto – existindo um maior, onde os ferries partem para Plymouth, no Reino Unido, mais longe.

Anghiari, Itália

As ruas de Anghiari foram projetadas para guerreiros da era renascentista.


Pairando numa encosta perto da fronteira entre a Toscânia e a Umbria, Anghiari é uma delícia – uma pequena cidade murada que se enrola à sua volta à medida que se agarra à paisagem.

É uma rede pedonal de becos e uma montanha-russa de ruas, cheia de grandes palácios que foram construídos pelos misteriosos e mercenários "homens de armas" que aqui viveram no período renascentista.

Saiba mais sobre eles no Museo della Battaglia di Anghiari, que retrata a história de uma importante batalha medieval que teve lugar na planície fora da cidade.

Nafplio, Grécia

Nafplio foi a primeira capital da Grécia moderna.


A deslumbrante Nafplio encosta-se ao Mar Egeu no Peloponeso, com o seu castelo construído em Veneza encostado à água (na verdade, há aqui três castelos para visitar) e uma bonita Cidade Velha a espalhar-se por detrás das antigas muralhas.

Esta foi a primeira capital da Grécia moderna, por isso há muitas coisas a fazer. Há uma zona junto à baía, se quiser dar um mergulho seguro no mar, e se é dado a história, o museu arqueológico contém artigos que remontam à era micénica.

Mostar, Bósnia e Herzegovina

A ponte atrai visitantes de toda a região.


Mostar's Stari Most, ou "Ponte Velha", construída pelos otomanos no século XVI, foi durante muito tempo considerada um dos melhores exemplos da arquitetura islâmica dos Balcãs.

Arqueando sobre o rio Neretva, esta é uma das mais famosas vistas dos Balcãs, e tradicionalmente os locais mergulham da ponte – que é hoje uma das paragens na Red Bull Cliff Diving World Series.

A ponte foi destruída em Novembro de 1993 pelas forças croatas, durante a guerra dos Balcãs. Foi reconstruída em 2004 e, hoje, Mostar é um destino adorado na Bósnia e Herzegovina, e uma popular viagem de um dia a partir de Dubrovnik, perto da fronteira da Croácia.

Mazara del Vallo, Sicília

Mazara del Vallo é uma das cidades pescatórias mais bonitas da Sicília.


A Sicília é um caldeirão de culturas e Mazara del Vallo tipifica isso. Fundada pelos fenícios há quase três mil anos, tem visto uma miríade de culturas fluir através da ilha - a sua área de Kasbah é semelhante a uma medina do norte de África, existe uma forte comunidade tunisina, e será mais provável que aqui encontre cuscuz no menu do que massa.

A sua atracção principal é o Sátiro Dançante - uma antiga estátua de bronze “pescada” do mar em 1998.

Clovelly, Reino Unido

A única maneira de percorrer Clovelly costumava ser através de burros


Os burros costumavam ser a única forma de subir e descer as ruas íngremes de Clovelly, uma bonita aldeia piscatória em Devon, no sudoeste de Inglaterra.

Hoje em dia, ainda não conseguiram trazer carros – a localidade fica no fundo de um penhasco de cerca de 130 metros. Em vez disso, as mercadorias são transportadas por trenós movidos pelo homem – e se os turistas não conseguirem enfrentar o passeio de volta ao parque de estacionamento, podem, em vez disso, apanhar boleia num Land Rover.

Dinkelsbühl, Alemanha

Dinkelsbühl fica na 'estrada romântica' da Alemanha.


Um bonito centro histórico, casas de madeira e torres de madeira robusta – Dinkelsbühl tem tudo isto. Fica amontoada na "Estrada Romântica" da Alemanha – uma rota conhecida pelas suas cidades deslumbrantes.

Envolvida por muralhas medievais com uma grande igreja gótica, de São Jorge, foi o cenário do filme de Werner Herzog "O Enigma de Kaspar Hauser".

Korčula, Croácia

Korčula fica numa península localizada numa ilha com o mesmo nome.


Quando uma ilha sentada pacificamente no Mar Adriático não basta, existe Korčula, a sair da ilha com o mesmo nome numa pequena península.

Os habitantes locais dizem que o aventureiro Marco Polo nasceu aqui; os venezianos disputam isso. Seja como for, é uma cidade de classe mundial, com ruas e edifícios brancos cintilantes, com água quase a toda a volta, e belos edifícios deixados pelos venezianos, que aqui governaram durante séculos.

Kenmare, Irlanda

Kenmare é um dos grandes destinos gastronómicos da Irlanda.


Na ponta sudoeste da Irlanda, a terra “derrete-se” no oceano no condado de Kerry. Kenmare balança na baía com o mesmo nome, onde o rio Roughty desliza para o mar.

Isto fica no meio de alguns dos ares mais queridos da Irlanda – fica na Wild Atlantic Way, entre o Anel de Kerry e o Anel de Beara. Kenmare é conhecida pela sua comida, e pelas suas vistas – com grandes montanhas a crescerem atrás da baía imaculada.

Piran, Eslovénia

Piran localiza-se na faixa costeira do Adriático, na Eslovénia.


A Eslovénia tem apenas uma lasca de costa, localizada no topo da península da Ístria em forma de cunha, pendurada no Mar Adriático.

Embora pequeno, este trecho da costa, encravado entre a Itália e a Croácia, é o lar de várias cidades bonitas, incluindo Piran. Desenvolvida pelos venezianos, que a conquistaram em 1283, é uma bela mini-Veneza, com um campanário robusto, arquitetura espumosa, e barcos de pesca ancorados no minúsculo porto.

Reine, Noruega

Reine é a Noruega na sua imagem mais perfeita.


Você quer: uma bela cidade norueguesa – remota, minúscula e à beira-mar. Você precisa: de Reine, a alegria das Ilhas Lofoten, cujas bonitas cabanas vermelhas se encontram na base dos picos montanhosos escarpados, que fazem desta um cruzamento entre as Dolomitas e a Baía de Ha Long.

Este é um dos locais mais espetaculares do arquipélago Lofoten - com um miradouro sobre as ilhas e uma aldeia que vai deixá-lo de queixo caído, Reinebringen, mesmo no exterior.

Regencós, Espanha

Regencós fica perto das praias da Costa Brava, a 10 minutos para o interior


No que diz respeito às costas cheias de turistas de Espanha, a Costa Brava, na Catalunha, é relativamente sossegada – mas nisso fica muito atrás da pacífica Regencós, apenas 10 minutos para o interior. A sul do "Triângulo Dali", a zona onde o artista surrealista viveu e trabalhou, é uma zona montanhosa de aldeias medievais tranquilas.

Regencós, ligeiramente maior, tem restos das suas muralhas medievais, uma bonita igreja, e casas de pedra tradicionais rodopiando a partir do centro.

Tarnów, Polónia

Tarnów tem a sensação de cidade pequena. A volta à Polónia em bicicleta costuma passar pelo centro da cidade.


Em primeiro lugar – isto é uma cidade. Mas vagueie pela Cidade Velha e descobrirá que ainda tem aquela sensação de cidade pequena, com belos edifícios medievais que dão uma sensação de quão perto estava Cracóvia antes da chegada do turismo de massas.

A praça da Cidade Velha é uma mistura gloriosa de estilos arquitetónicos, há uma bela igreja gótica e muito património judeu – embora a comunidade tenha sido mais ou menos dizimada durante a Segunda Guerra Mundial.

Viagens

Mais Viagens

Na SELFIE

Patrocinados