Reservam, pagam, mas não fazem check-in. Pessoas de todo o mundo já gastaram quase dois milhões de euros em reservas na Airbnb na Ucrânia

5 mar 2022, 18:23
Mulher com a bandeira da Ucrânia. (AP Photo/Valeria Mongelli)

Até agora foram reservadas 61 mil noites em várias cidades na Ucrânia e a Airbnb já ofereceu alojamento gratuito a 100 mil refugiados ucranianos

Pessoas de todo o mundo estão a fazer reservas de quartos e casas na Ucrânia através da Airbnb. O objetivo é simples: reservar, pagar e não aparecer, apenas ajudar os cidadãos ucranianos que estão a passar dificuldades financeiras à boleia da invasão da Rússia no país. 

Segundo a Bloomberg, a Airbnb confirmou que, desde que a invasão da Rússia começou, já recebeu dois milhões de dólares (perto de 1,8 milhões de euros) em reservas na Ucrânia de pessoas que não têm qualquer intenção de ficar acomodadas no país.

Até agora, revela a rádio norte-americana NPR, foram já reservadas 61 mil noites em várias cidades na Ucrânia.

No Twitter, multiplicam-se os relatos de quem já fez reservas em quartos e casas na Ucrânia. Gail Pellerin e Jayne Hamilton são um exemplo disso, tendo já feito a reserva de duas noites em Kiev.

A própria plataforma de alojamento, que já suspendeu a atividade na Rússia, está a incentivar as reservas, não cobrando quaisquer taxas aos hóspedes nem aos proprietários. Além disso, já ofereceu alojamento gratuito a 100 mil refugiados ucranianos, conta o The Guardian.

 

Relacionados

Europa

Mais Europa

Patrocinados