48 anos preso por um crime que não cometeu: Glynn Simmons inocentado aos 71 anos

Agência Lusa , AM
21 dez 2023, 11:35
Glynn Simmons (Twitter)

Aconteceu nos EUA. Glynn Simmons é agora elegível para receber uma indemnização.

Um homem de 71 anos foi declarado inocente esta terça-feira no Estado norte-americano do Oklahoma depois de passar quase 50 anos preso por um homicídio que não cometeu.

Glynn Simmons tornou-se a pessoa que passou mais tempo presa na história dos Estados Unidos antes de ser inocentada, de acordo com o Registo Nacional de Exonerações dos EUA.

Juntamente com outro homem, Don Roberts, este afro-americano foi condenado à morte em 1975 pelo assassinato de um funcionário de uma loja de bebidas durante um assalto em Edmond, uma cidade no Estado do Oklahoma.

A sentença foi posteriormente comutada para prisão perpétua.

A condenação dos dois homens foi decidida com base no simples depoimento de uma cliente da loja, uma adolescente, que levou um tiro na cabeça durante o assalto mas que sobreviveu.

A adolescente alegou tê-los reconhecido durante a sessão de identificação, mas uma investigação posterior questionou as suas alegações.

Durante o julgamento, os dois homens alegaram que não estavam em Oklahoma no dia do assalto.

Glynn Simmons foi libertado em julho, após 48 anos, um mês e 18 dias de prisão, e foi considerado inocente esta terça-feira por um tribunal de Oklahoma, que anulou a condenação.

“Este é um dia pelo qual esperávamos há muito, muito tempo. Podemos dizer que a justiça foi feita hoje, finalmente”, sublinhou Simmons, em declarações aos jornalistas.

O outro homem condenado neste processo, Don Roberts, foi libertado da prisão em 2008, de acordo com o Registo Nacional de Exonerações dos EUA.

Glynn Simmons é agora elegível para receber uma indemnização.

“O que foi feito, foi feito, mas deve haver responsabilização”, frisou.

E.U.A.

Mais E.U.A.

Patrocinados