Ofertas de saudita abrem investigação na fundação do príncipe Carlos

16 fev, 12:25
Príncipe na Royal Academy of Arts, em Londres, em novembro de 2003

Investigação ocorre depois de suspeitas de "que foram feitas ofertas à Fundação para para garantir 'honra' e cidadania para um cidadão saudita"

A Polícia Metropolitana de Londres abriu uma investigação sobre as alegações de "dinheiro por honra" ligadas à instituição de caridade do Príncipe de Gales.

A investigação sobre a Fundação do Príncipe ocorre depois de denúncias de que um cidadão saudita ofereceu dinheiro à instituição para garantir "honras" e cidadania britânica.

Em comunicado, a força policial informa que as ofensas violam a Lei de 1925 - Honras (Prevenção de Abusos). 

"A decisão está relacionada com a avaliação de uma carta de setembro de 2021 e relacionada com reportagens na comunicação social que alegam que foram feitas ofertas para para garantir 'honra' e cidadania para um cidadão saudita. A equipa especial de inquérito conduziu o processo de avaliação que incluiu entrar em contacto com aqueles que se acreditam estar na posse de informações relevantes", lê-se na nota.

Os agentes estiveram em contaco com a fundação que, segundo o mesmo comunicado, forneceu vários documentos relevantes que foram revistos "juntamente com as informações existentes".

"A avaliação determinou que será iniciada uma investigação. Não houve detenções", adianta a nota.

O escândalo foi conhecido em agosto passado quando surgiram notícias de que o assessor mais próximo do príncipe Carlos teria ajudado um magnata saudita a garantir um título honorário após uma doação na ordem dos 1.75 milhões de euros destinados a instituições de caridade relacionadas com a família real.

Na altura, fontes da fundação, garantiam que "o Príncipe de Gales não tem conhecimento da alegada oferta de honras ou cidadania britânica com base na doação para as suas instituições de caridade e apoia totalmente a investigação independente agora em andamento pela Prince’s Foundation”. O que veio agora a acontecer.

As notícias levaram à demissão de Michael Fawcett, que até então assumia as responsabilidades de chefe executivo na Prince’s Foundation, criada em 2018, e de Douglas Connell, presidente da fundação, que se demitiu citando evidências de uma possível “atividade desonesta” e “grave má conduta”.

Europa

Mais Europa

Patrocinados