Porque é tão importante reciclar as embalagens?

Conteúdo patrocinado
14 dez 2021, 10:27
MINUTO R
MINUTO R

Embalagens. Estão por todo o lado. Nas prateleiras dos supermercados, nos armários das casas de banho, nas despensas das casas ou nos produtos que consumimos nos restaurantes e na rua. São fundamentais para preservar os bens que utilizamos ou consumimos, mas também uma das principais causas para a escassez de recursos naturais do nosso Planeta. Reciclar é a solução.

Sabia que, em 2020, cada português produziu, em média, 1,4 kg de resíduos urbanos por dia? Segundo dados da Agência Portuguesa do Ambiente (APA), 64% do lixo produzido no ano passado foi depositado em aterro e apenas 8,9% seguiu para reciclagem. Bastante longe dos objetivos do SIGRE (Sistema Integrado de Gestão de Resíduos de Embalagens) estabelecidos para 2030.

Em menos de uma década, Portugal terá de cumprir uma meta muito ambiciosa: reciclar, pelo menos, 70%, em peso, do total dos resíduos de embalagens. Por outras palavras, quase ¾ das embalagens que vão para o lixo devem ser recicladas. O objetivo é difícil e não pode ser concretizado sem a colaboração de todos os intervenientes, desde os fabricantes e embaladores, passando pelos distribuidores, até aos consumidores.

Além de assegurar que os resíduos de embalagem são corretamente encaminhados para valorização e reciclagem, a Novo Verde – Sociedade Gestora de Resíduos de Embalagens - estabeleceu como prioridade a sensibilização de todos os agentes envolvidos para o desenvolvimento de práticas sustentáveis, em defesa do nosso Planeta.

Embalagens: porque devemos reciclá-las?

As embalagens são feitas com os recursos que o planeta nos dá, mas estes não são eternos. Ao fazer corretamente a separação de resíduos, garante que estas podem seguir para a reciclagem, evitando a extração de matérias-primas e prolongando o ciclo de vida dos materiais. Por exemplo, a reciclagem do plástico diminui o consumo de petróleo, a valorização das embalagens de metal evita a extração dos minérios, o vidro reciclado poupa recursos naturais minerais e a pasta de papel reciclada reduz o abate de árvores.

Da produção até casa: tipos de embalagens

São muitas as embalagens que nos rodeiam no dia a dia e todas (ou quase todas) têm uma função importante: envolver e armazenar os produtos por determinado período, com o objetivo de proteger e garantir a sua vida útil, possibilitando a sua distribuição e conservação. São também um veículo de informação ao consumidor, com destaque para as suas características, modos de utilização e ecoponto para a sua deposição.

Existem três tipos de embalagens:

  • Primárias. São as que saem das prateleiras dos supermercados para casa dos consumidores e que envolvem diretamente o produto, protegendo-o do ambiente exterior. Alguns exemplos de embalagens primárias são os pacotes de leite, garrafas de água ou latas de refrigerante.
  • Secundárias. Ajudam a agrupar diversas unidades do mesmo produto, podendo ser retiradas sem afetar as suas características. É o caso das caixas de cartão onde são colocados vários pacotes de batatas fritas ou do invólucro de plástico que envolve um conjunto de refrigerantes ou pacotes de leite, como normalmente se vê nos pontos de venda.
  • Terciárias. Tratam-se de embalagens de transporte, cujo objetivo é proteger a mercadoria e facilitar a sua movimentação, como as paletes e plásticos filme.

Em resumo: as embalagens primárias envolvem e protegem o produto, as secundárias agrupam as primeiras e as terciárias acomodam as primárias e as secundárias. Confuso? Vamos a um exemplo: o vinho. As garrafas que contêm o vinho são primárias, a caixa de cartão que agrupa várias garrafas é secundária e, por fim, a película de plástico que envolve a caixa de cartão ou a palete que ajuda a transportar um conjunto de caixas é uma embalagem terciária.

Existem ainda as embalagens de serviço, utilizadas pelo setor da distribuição, comércio, serviços e restauração com o objetivo de acondicionar os produtos vendidos nas lojas. É o caso das cuvetes de transporte de comida take away ou os sacos da fruta.

Independentemente do tipo de embalagem, todas podem, e devem seguir para a reciclagem ou, em alternativa, serem reutilizadas para evitar o desperdício.

Mãos à obra: como fazer a separação das embalagens?

Da separação em casa ao destino final, se ainda tem dúvidas sobre que materiais devem seguir para os ecopontos amarelo, verde e azul, a Novo Verde dá-lhe algumas dicas simples que podem facilitar o processo de reciclagem.

Plástico e ECAL vão para… ecoponto amarelo

O ecoponto amarelo é o que suscita mais dúvidas. Então, vamos por partes, o que pode seguir para este contentor?

  • Todas as embalagens de plástico, como, por exemplo, garrafas de água, óleo, azeite ou sumo, sacos de plástico, embalagens de molhos, detergentes, pacotes de batatas fritas, champô, gel duche, pastas de dentes, tampas de plástico e copos ou garrafas de iogurte. A lista é extensa, mas uma coisa é certa: se é uma embalagem de plástico, coloque-a no ecoponto amarelo.
  • Pacotes ECAL, ou seja, embalagens de cartão para alimentos líquidos, como os pacotes de sumo, leite, nata ou polpa de tomate. Muitos leitores estarão a perguntar-se: “mas os pacotes de leite não são feitos de cartão?”. Sim, mas não só. Estas embalagens são compostas por uma mistura de três materiais: cartão, alumínio e plástico. Ou seja, poderiam pertencer ao ecoponto azul ou amarelo, mas como não podem ser colocadas nos dois ao mesmo tempo, devem ir para o amarelo. Posteriormente, no processo de triagem, os diferentes materiais são encaminhados para a reciclagem certa.
  • Esferovite. Comprou uma torradeira que vem rodeada em esferovite? Sabe a cuvete que embala a carne que compra no supermercado? Uma vez que a esferovite é um tipo de plástico, estes materiais podem ser reciclados e, consequentemente, devem ser colocados no ecoponto amarelo.

Atenção: nem tudo o que é feito de plástico pode ser reciclado. É o caso dos talheres de plástico, escovas de dentes ou as antigas cotonetes. Apesar de terem plástico na sua composição, não podem ir para o ecoponto amarelo, pois não se tratam de embalagens. Coloque-os no lixo indiferenciado.

Aço e alumínio… o ecoponto amarelo, parte II

O ecoponto amarelo tem muito que se lhe diga. Além dos plásticos, das embalagens ECAL e da esferovite, também podem ser depositadas embalagens de metal, como o aço ou o alumínio. Este material é altamente reciclável, podendo, por exemplo, dar origem a novos componentes de automóvel. Por isso, fazer a reciclagem de metal é tão importante.

Coloque no ecoponto amarelo as latas de bebidas e refrigerantes, conservas, comida para animais, aerossóis, lacas, espumas de barbear ou desodorizantes.

No entanto, não deposite neste ecoponto objetos de metal, como talheres, tachos ou panelas, clipes ou agrafos, dado que não são embalagens. Pilhas, baterias, lâmpadas, telemóveis e outros equipamentos eletrónicos também não devem ir para o ecoponto amarelo. Os supermercados e municípios da sua área de residência têm locais próprios para entregar gratuitamente estes resíduos.

Cartão e vidro seguem para… ecopontos azul e verde

Se tem dúvidas sobre o que pode colocar nos ecopontos azul e verde, fique a saber:

  • O ecoponto azul está destinado a receber resíduos de papel e cartão, tais como pacotes de bolachas, cereais, caixas de ovos, de transporte, sacos de papel, jornais, revistas e blocos de papel de escrita e impressão.

Para não inviabilizar a reciclagem do papel, não coloque neste contentor o papel autocolante, toalhetes, fraldas e papel de cozinha usados. São resíduos indiferenciados. As caixas de cartão devem ser espalmadas na medida do possível, para aumentar o espaço disponível nos ecopontos. O transporte torna-se mais eficiente e o ambiente agradece.

  • O vidro é 100% reciclável, por isso, deve encaminhar para o ecoponto verde todas as embalagens de vidro. Coloque neste contentor as garrafas de vidro de azeite, vinho e outras bebidas, assim como os frascos de compotas, boiões e perfumes.

Mas nem todo o vidro deve ser encaminhado para o ecoponto verde. A composição do material utilizado para embalagens não é a mesma de outros tipos de vidro, como os copos ou espelhos. Se forem entregues no ecoponto podem inviabilizar um lote de vidro a reciclar. Para assegurar que o vidro será 100% reciclado, não coloque colocar acrílicos, espelhos, loiças, porcelanas, lâmpadas e materiais de construção.

As embalagens têm um papel importante na preservação e transporte dos bens que consumimos no dia a dia, mas também põem em causa a sustentabilidade do Planeta. Pequenos gestos hoje, podem fazer toda a diferença no futuro. Pronto para fazer a sua parte?

Uma newsletter para conversarmos - Decisão 22

Envie-nos as suas questões e sugestões de temas, responderemos pela caixa do correio

Saiba mais

Minuto R

Mais Minuto R