Jovem bancário suspeito de traficar armas no OLX e desviar 30 mil euros de clientes da CGD 

Henrique Machado , notícia atualizada às 11:01
25 nov, 10:25

Investigação já durava há quase um ano. Jovem foi detido esta manhã, sendo que estão a decorrer buscas de Norte a Sul do país

PUB

Um jovem bancário de 25 anos foi esta manhã detido pela PSP, em articulação com o DIAP de Lisboa, por suspeitas de tráfico de armas, que comercializa através da conhecida plataforma Online OLX. Entretanto, e desde que trabalha na Caixa Geral de Depósitos, o mesmo bancário é suspeito de ter desviado cerca de 30 mil euros das contas bancárias de clientes e terá emitido ainda cartões de débito em nome de clientes, através dos quais terá levantado milhares de euros para seu usufruto, conforme apurou a CNN Portugal. 

A investigação apanhou o rasto da venda online de oito armas, que eram enviadas por correio. Os destinos foram Montijo, Poiares, Viseu, Parede, Guarda, Mirandela, Odivelas e Casal de Cambra, apurou a CNN Portugal.

PUB

Estão a decorrer buscas de Norte a Sul, aos compradores das armas ilegais - nomeadamente bastões extensíveis -, que serão constituídos arguidos. O suspeito recorria a testas de ferro, para quem transferia os valores das vendas, desde há um ano, e estes devolviam-lhe depois o dinheiro das vítimas.

PUB
PUB
PUB

A investigação já durava há quase um ano, tendo sido detido esta manhã o bancário. Também o seu posto de trabalho da dependência da Caixa Geral de Depósitos foi alvo de buscas.

Os crimes em causa serão acesso ilegítimo, falsidade informática e tráfico de armas. O jovem será presente amanhã a um juiz no Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa.

A operação contou com a realização de 18 mandados de busca, sendo 10 domiciliários e 8 não domiciliários. Foram apreendidos três bastões extensíveis, um aerossol de defesa e uma reprodução/réplica de arma de fogo

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Crime e Justiça

Mais Crime e Justiça