Mais de 25% dos desempregados no 2.º trimestre passaram a estar empregados entre julho e setembro

Agência Lusa , AM
15 nov 2023, 12:59
Emprego (Getty Images)

Já dos que tinham emprego a tempo parcial, 19,1% passaram a trabalhar a tempo completo no terceiro trimestre deste ano

Mais de 25% dos desempregados em Portugal no segundo trimestre deste ano (82,2 mil) passaram a estar empregados no terceiro trimestre, anunciou esta quarta-feira o Instituto Nacional de Estatística (INE).

Do total dos desempregados no segundo trimestre deste ano, “25,3% (82,2 mil) transitaram para o emprego”, refere o INE em comunicado.

Entre abril e junho deste ano, do total de desempregados, mais de metade (50,3%), ou seja, 163,2 mil pessoas, permaneceram sem emprego no terceiro trimestre (entre julho e setembro), enquanto 24,4% (116,6 mil) passaram para a condição de inativos.

No segundo trimestre, 28,6% (43,9 mil) dos homens que estavam desempregados no primeiro trimestre e 22,4% (38,3 mil) das mulheres que também estavam nesta situação tinham arranjado emprego.

O instituto de estatística refere ainda que do segundo trimestre deste ano para o terceiro trimestre, 29,7% (56,1 mil) dos desempregados de curta duração e 14,8% (22,1 mil) das pessoas que estavam inativas e que pertenciam à “força de trabalho potencial”, passaram a estar empregadas.

O INE realça também que passaram para um trabalho por conta de outrem 10,9% (77,3 mil) das pessoas que tinham um trabalho por conta própria e 21,6% (70,2 mil) das pessoas que estavam desempregadas.

Além disso, do total de trabalhadores por conta de outrem que, no segundo trimestre tinham um contrato de trabalho com termo ou outro tipo de contrato, 21,8% (164,9 mil) passaram a ter um contrato sem termo no terceiro trimestre deste ano.

Em relação àqueles que entre abril e junho tinham um emprego a tempo parcial, 19,1% (77,5 mil) passaram a trabalhar a tempo completo no terceiro trimestre deste ano, adianta o INE.

Já as pessoas que permaneceram empregadas entre o segundo trimestre e o terceiro trimestre deste ano, mas que mudaram de emprego, fixaram-se nos 3,3% (160,3 mil), menos 0,3 pontos percentuais, conclui.

Relacionados

Economia

Mais Economia

Patrocinados