Criminalidade sobe 1,3% este ano face a 2019

Agência Lusa , AM
2 nov, 10:10
José Luís Carneiro (ANTÓNIO PEDRO SANTOS/LUSA)

Dados revelados pelo ministro da Administração Interna revelam ainda que a criminalidade violenta e grave desceu 5,3% em 2022

A criminalidade geral subiu este ano 1,3% em relação a 2019, enquanto a violenta e grave diminuiu 5,3%, revelou esta quarta-feira, no parlamento, o ministro da Administração Interna.

“Os índices da criminalidade em 2022, quando comparados com 2019, transmitem-nos confiança nesse rumo. Apesar de uma ligeira subida da criminalidade geral em 1,3%, a criminalidade violenta e grave diminuiu 5,3%”, precisou José Luís Carneiro, durante a apreciação na especialidade da proposta de Orçamento do Estado para 2023 (OE2023).

Na sua intervenção inicial, o ministro sustentou que esta proposta orçamental pretende sustentar “o propósito de Portugal continuar a ser um dos países mais seguros do mundo, apesar do exigente e incerto contexto externo” que se vive.

Nesse sentido, o governante deu conta de que, face a 2022, o orçamento da administração interna para 2023 “cresce 220 milhões de euros, para um total de 2.601 milhões de euros”.

MAI anuncia 17,4 ME para cibersegurança

O ministro da Administração Interna anunciou um reforço na segurança da Rede Nacional de Segurança Interna, estando previsto para 2023 um investimento de 17,4 milhões de euros em meios de cibersegurança.

José Luís Carneiro avançou que no próximo ano “continuará a ser feito o investimento previsto em tecnologias da informação e comunicação”, preparando o MAI para “uma transição digital segura”.

O governante sublinhou que esse investimento tem em vista “reforçar a segurança da Rede Nacional de Segurança Interna, fortalecendo os meios de cibersegurança” em 17,4 milhões de euros.

O ministro deu também conta que da partilha de recursos e soluções entre as forças e serviços de segurança, através da gradual integração das estruturas de apoio técnico e de suporte logístico, “eliminando redundâncias e libertando recursos humanos para a área operacional” no valor de 3,1 milhões de euros.

José Luís Carneiro avançou igualmente que em 2023 vão ser investidos 11,5 milhões de euros na nova geração de centros operacionais do 112, que permitirão a geolocalização de chamadas, uma nova aplicação para surdos e a interoperabilidade com os centros operacionais europeus.

Segundo o ministro, os sistemas de informação Schengen vão ser atualizados em oito milhões de euros e o sistema europeu de informação e autorização de viagens em cinco milhões de euros.

José Luís Carneiro referiu ainda que vão ser investidos na rede de comunicações de emergência do Estado SIRESP 36,5 milhões de euros a que acrescem, a cinco anos, mais 75 milhões no âmbito do concurso público internacional e mais 38,5 milhões de euros em outros investimentos.

Crime e Justiça

Mais Crime e Justiça

Patrocinados