Com o aumento nos casos de covid-19, devem as pessoas mudar os planos de viagem de verão?

CNN , Katia Hetter
4 jun, 18:00
Aeroporto. David Zalubowski/AP

As pessoas devem repensar os seus planos de viagem de verão, dado o aumento dos casos de coronavírus? Que precauções devem tomar? E aquelas com condições médicas subjacentes — e qual é o conselho para famílias com menores de 5 anos, que não são elegíveis para a vacinação?

Para responder a estas perguntas, falei com a analista médica da CNN, Leana Wen, médica de emergência e professora de política e gestão de saúde na George Washington University Milken Institute School of Public Health. É também autora de "Lifelines: A Doctor's Journey in the Fight for Public Health" e mãe de duas crianças pequenas.

CNN: Os casos de covid estão a aumentar novamente. Isso significa que as pessoas devem cancelar os seus planos de viagem de verão?

Leana Wen: Não necessariamente. Pode haver algumas pessoas que queiram repensar os seus planos de viagem, e todos devem pensar bem nas contingências - mas não acho que a maioria das pessoas deva cancelar as suas viagens de verão.

Durante toda a pandemia, dei conselhos baseados nos fatores de risco das pessoas para doenças graves, bem como na sua tolerância ao risco. Aqueles que são geralmente saudáveis, vacinados e com a dose de reforço, têm um baixo risco de doença grave devido a covid-19. É razoável que muitas pessoas digam que, dado o seu baixo risco, podem retomar as atividades pré-pandémicas e que não vão restringir as suas viagens ou outras atividades. Sim, ainda há uma pequena hipótese de ficarem muito doentes, e os sintomas a longo prazo da infeção por coronavírus continuam a ser possíveis, mas muitas pessoas estão a concluir que vão assumir esse risco porque o valor das viagens e todas as outras atividades pré-pandémicas são muito elevados para elas.

Por outro lado, haverá muitas pessoas que ainda optam por ser cautelosas. A boa notícia é que também há muitas mais ferramentas à sua disposição que não existiam antes, nas fases iniciais da pandemia. Existem comprimidos antivirais [nos EUA], por exemplo, que reduzem ainda mais a probabilidade de doença severa. E, claro, garantir que estão vacinadas e têm a dose de reforço também reduz o risco de doença severa e infeção sintomática.

CNN: Quais são alguns fatores que as pessoas devem considerar na decisão de adiar as viagens?

Wen: O mais importante é o seu próprio risco médico de doença grave devido a covid-19. Aconselho a falar com o seu médico para avaliar melhor as suas circunstâncias individuais. Isto não quer dizer que as pessoas com condições médicas subjacentes não devam viajar, mas sim que devem saber qual é o seu risco e depois pesar esse risco contra o valor que retiram da viagem.

Outro fator é se teve recentemente covid-19. As hipóteses de reinfeção são baixas se tiver estado infetado nos últimos três meses. Por outro lado, se esteve infetado em 2020 e nunca foi vacinado, deve obter a vacina para uma proteção maximizada. E aqueles que não têm a dose de reforço, mas são elegíveis para tal, também devem receber o reforço agora.

Considere, também, qual seria o seu plano se contraísse covid-19 durante a viagem. Vai para um país que tem bons cuidados médicos? Pode aceder aos tratamentos de que necessita nesse local, incluindo comprimidos antivirais, anticorpos monoclonais e remdesivir? Também recomendo falar com o seu médico antecipadamente para saber para que tratamentos é elegível se estiver no seu país de origem. Poderá aceder prontamente aos mesmos tratamentos no seu destino? O seu seguro de saúde cobre o custo do tratamento?

O nível de infeção por covid-19 também pode ser um guia. O Centro de Controlo e Prevenção de Doenças dos EUA tem uma lista de países por nível de risco. Penso que poderia consultar este guia enquanto planeia a sua viagem, mas lembre-se que as circunstâncias são fluidas, e um país que era de baixo risco há um mês pode ser de maior risco agora e vice-versa.

Por fim, pense na inconveniência que pode ser caso acabe por testar positivo durante a viagem. Se o nível de covid-19 no país para onde vai é elevado, e se envolver em atividades de maior risco, como jantar dentro de restaurantes e ir a bares movimentados, há a hipótese de apanhar o coronavírus. Os Estados Unidos ainda exigem testes de pré-partida antes das viagens internacionais. Se testar positivo, tem os recursos para se isolar durante o número de dias necessário? Será que isto será um grande inconveniente - precisa de voltar para trabalhar ou por responsabilidades familiares? Se assim for, isso pode pesar a favor do adiamento da sua viagem. A propósito, um seguro de viagem é uma boa ideia, dadas as muitas incertezas com que os viajantes se deparam. Verifique cuidadosamente a apólice de seguro, uma vez que nem todos os planos de seguro cobrem perturbações relacionadas com a covid-19.

CNN: Que precauções podem as pessoas tomar durante a viagem?

Wen: Certificar-se de que está vacinado e com as doses de reforço é uma das principais. Se estiver imunocomprometido, pergunte ao seu médico se é elegível para tomar Evusheld, o anticorpo preventivo que lhe dá um nível adicional de proteção.

Outra medida de proteção fundamental é usar máscara. A maioria das companhias aéreas e aeroportos já não exigem máscaras, mas lembre-se de que é sempre uma opção disponível para si. Proteger-se, mesmo que seja o único, com uma máscara de alta qualidade e bem ajustada – como a N95, KN95 ou KF94 – é muito eficaz na proteção do portador da máscara.

Recomendo que continue a usar máscara em ambientes interiores lotados, especialmente se a área em que está tem altos níveis de covid-19 e/ou se estiver perto de pessoas que vêm de outros lugares com níveis elevados. Isso inclui o voo. Se não quiser usar máscara durante todo o voo, use máscara durante os cenários de maior risco - por exemplo, pode tirar a máscara para comer, mas use-a enquanto estiver na fila da segurança e durante o embarque e desembarque. (O ar a bordo é circulado e filtrado durante o voo, mas geralmente não durante o embarque ou desembarque ou quando o avião está pousado na pista.)

Esteja também atento aos ajuntamentos. Eventos que têm algum distanciamento, boa ventilação e obrigatoriedade de vacinação e testes no próprio dia serão mais seguros do que aqueles que não têm. Mais uma vez, isto não quer dizer que seja necessário evitar todos os eventos interiores, mas sim estar ciente do risco. Se comparecer a um evento de maior risco, certifique-se que faz um teste rápido no mesmo dia antes de visitar os seus entes queridos mais vulneráveis.

CNN: Os pais e cuidadores de menores de 5 anos terão algum alívio em breve? Os filhos serão vacinados a tempo das viagens de verão? [nos EUA, essa aprovação estará para breve. Em Portugal, não é possível vacinar os menores de 5 anos]

Wen: Espero que sim! Estou ansiosa por ter os meus dois filhos vacinados quando a vacina for autorizada para eles. A Food and Drug Administration dos EUA e o CDC vão discutir a vacina para crianças este mês. No final de junho, famílias com crianças pequenas poderão vir a receber as suas primeiras doses.

As famílias devem decidir por si mesmas se querem esperar pela viagem até que estas crianças sejam vacinadas. Esta decisão, mais uma vez, depende da tolerância ao risco e do valor da atividade.

No geral, estamos num ponto muito diferente da pandemia do que estávamos nesta altura, o ano passado. Temos muito mais ferramentas à nossa disposição para nos ajudar a proteger-nos dos piores efeitos da covid-19. Especialmente porque este vírus parece ficar connosco nos tempos mais próximos, temos de estar cientes dos riscos, ao mesmo tempo que retomamos partes das nossas vidas que são importantes para a nossa saúde emocional e bem-estar em geral.

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Viagens

Mais Viagens

Na SELFIE

Patrocinados