Corpo de Avelina Ferreira estava desaparecido há dois meses. Agora foi encontrado numa mata perto de um hospital de Lisboa

Agência Lusa , PF
26 fev, 19:02
Um mês depois, Avelina Ferreira continua desaparecida. Família cria petição para levar o tema ao Parlamento

Avelina Ferreira tinha desaparecido depois de ter entrado sozinha nas urgências do Hospital, uma vez que o marido foi impedido de a acompanhar. O marido esteve sete horas à espera do lado de fora das urgências, até descobrir que Avelina tinha desaparecido sem que ninguém tivesse dado conta

O corpo encontrado esta segunda-feira numa mata nas traseiras do Colégio de São José, Lisboa, foi identificado como sendo o de Avelina Ferreira, desaparecida em dezembro do ano passado, disse à Lusa fonte próxima da família.

Avelina Ferreira, 73 anos, desapareceu a 12 de dezembro do ano passado, depois de ter entrado nas urgências do Hospital São Francisco Xavier.

Na manhã desta segunda-feira fonte policial disse que foi encontrado às 10:40 um corpo em avançado estado de decomposição numa mata nas traseiras do Colégio de São José, perto do Hospital São Francisco Xavier, em Lisboa.

Na altura a fonte policial disse desconhecer a identificação e também não indicou o sexo ou a idade.

Avelina Ferreira tinha desaparecido depois de ter entrado sozinha nas urgências do Hospital, uma vez que o marido foi impedido de a acompanhar. O marido esteve sete horas à espera do lado de fora das urgências, até descobrir que Avelina tinha desaparecido sem que ninguém tivesse dado conta.

A família culpou o hospital por ter impedido que o marido acompanhasse Avelina Ferreira no serviço de urgência, tendo sido obrigado a aguardar na sala de espera. Em janeiro, a família lançou uma petição na qual se pedem mecanismos que previnam o desaparecimento de pessoas com demência.

Questionada pela Lusa a fonte disse que os procedimentos lançados em janeiro continuam, desconhecendo se a família vai tomar outras medidas.

Relacionados

País

Mais País

Patrocinados