Sete detidos por venderem bilhetes mais caros para os concertos dos Coldplay nas redes sociais

15 mai, 11:20
Chris Martin, dos Coldplay (Rick Scuteri/Invision/AP)

Autoridades detetaram casos em que os suspeitos podiam lucrar entre 45 a 160 euros por bilhete

A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) deteve mais sete pessoas por crime de especulação na venda de bilhetes para os concertos dos Coldplay, que se realizam esta semana, em Coimbra.

De acordo com comunicado enviado às redações, foram apreendidos 13 bilhetes que “estavam a ser promovidos nas redes sociais a preços muito acima do seu real valor facial”, estando em causa “margens líquidas especuladas que oscilavam entre os 45 e os 160 euros por bilhete”.

Foram, por isso, registados sete processos-crime, tendo sido decretada a medida de termo de identidade e residência para todos os suspeitos.

Os sete detidos foram presentes a tribunal, tendo sido decidida a suspensão provisória dos processos-crime por um período entre quatro e seis meses, “na condição de os arguidos procederem ao pagamento a título de injunção de valores que variam entre 400 euros e 600 euros”, explicou aquela autoridade.

“A ASAE reforça o alerta aos consumidores que devem evitar a aquisição de bilhetes acima do seu valor oficial, uma vez que essa venda constitui um Crime de Especulação, punido com pena de prisão de seis meses a três anos”, reforça o comunicado.

Desde o anúncio dos quatro concertos de Coldplay em Coimbra, que vão acontecer na quarta e quinta-feira, no sábado e no domingo para mais de 200 mil pessoas, que a ASAE tem dado conta de várias detenções pelo país por especulação.

Os bilhetes para os concertos – com preços entre 65 e 150 euros, pelo menos - esgotaram em poucas horas, depois de gerarem uma procura nunca vista em Portugal.

Relacionados

Economia

Mais Economia

Patrocinados