Província chinesa vai banir venda de carros movidos a combustível fóssil

Agência Lusa , CF
24 ago, 08:35
Carros elétricos

Hainan pretende que os veículos elétricos representem 45% dos veículos em circulação na ilha até 2030

A ilha de Hainan, no extremo sul da China, anunciou esta semana que se vai tornar na primeira região do país a banir a venda de carros movidos a combustível, visando reduzir as emissões de carbono.

As vendas de carros movidos a gasolina ou gasóleo vão ser proibidas até 2030. A venda de veículos elétricos vai ser estimulada através de incentivos fiscais e da expansão da rede de pontos de recarga, anunciou o governo da província de Hainan, no “Plano de Implementação do Pico das Emissões de Carbono”.

O anúncio ocorre numa altura em que a China enfrenta o verão mais quente e seco das últimas décadas, que arruinou colheitas e reduziu os níveis dos rios e reservatórios, usados para gerar energia hidroelétrica.

“Até 2030, toda a província vai proibir a venda de veículos movidos a combustível”, realçou o plano, que foi divulgado segunda-feira.

Um vice-ministro da indústria da China disse, em setembro de 2017, que Pequim estava a trabalhar num plano para parar de fabricar e vender carros movidos a gasolina e gasóleo, mas o governo não divulgou detalhes.

Hainan pretende que os veículos elétricos representem 45% dos veículos em circulação na ilha até 2030. O plano prevê ainda que as cidades desenvolvam “zonas de emissão zero”, onde veículos movidos a combustível fóssil vão ser proibidos de circular.

O Partido Comunista Chinês está a promover o uso de veículos elétricos, para reduzir os altos níveis de poluição registados nas cidades da China, e ganhar liderança inicial numa indústria emergente.

A China foi responsável por mais da metade das vendas globais de carros elétricos no ano passado.

Ásia

Mais Ásia

Patrocinados