Pelo menos oito mortos em aluimento de terras no sudoeste da China

Agência Lusa , AM - Notícia atualizada às 11:19
22 jan, 06:53
China - Ambulância

Aluimento de terras ocorreu pouco mais de um mês depois de o terramoto mais forte dos últimos anos ter atingido a China a noroeste

Pelo menos oito pessoas morreram esta segunda-feira num aluimento de terras que soterrou 47 na província de Yunnan, no sudoeste da China, informou a televisão estatal CCTV.

“As equipas de resgate encontraram oito pessoas, todas sem sinais de vida", reportou a CCTV, citada pela CNN Internacional.

Mais de 200 militares foram já destacados para operações de resgate, que prosseguem depois de terem sido retiradas mais de 500 pessoas da zona.

O incidente ocorreu às 05:51 de segunda-feira (21:51 de domingo em Lisboa) na vila de Zhenxiong, situada no norte da região, e afetou cerca de 18 casas na zona baixa entre duas montanhas.

"Estávamos a dormir nessa altura, era de manhã cedo e ainda estava escuro. De repente, ouviu-se um ruído forte e o chão tremeu. Parecia um grande terramoto", disse um residente local, citado pelo jornal local Jimu News.

A região registou uma forte queda de neve durante a noite de domingo e, embora a intensidade seja menor, a precipitação ainda não diminuiu, com temperaturas a rondar os zero graus Celsius.

O estado das estradas que conduzem à zona afetada, congeladas ao amanhecer, está a dificultar os esforços de socorro, disse um funcionário do gabinete local de gestão de catástrofes.

No rescaldo, as autoridades de Yunnan ativaram o nível três do protocolo de resposta a emergências e enviaram para a zona uma dúzia de escavadoras e 33 carros de bombeiros.

O presidente chinês, Xi Jinping, apelou para um "esforço total" para procurar e resgatar as pessoas soterradas, disse a agência de notícias oficial Xinhua.

O aluimento de terras ocorreu pouco mais de um mês depois de o terramoto mais forte dos últimos anos ter atingido a China a noroeste, numa região remota entre as províncias de Gansu e Qinghai. Pelo menos 149 pessoas morreram no terramoto de magnitude 6,2 na escala de Ritcher, registado a 18 de dezembro.

Cerca de 1.000 pessoas ficaram feridas e mais de 14 mil casas foram destruídas, na sequência do sismo mais mortífero dos últimos nove anos na China.

Ásia

Mais Ásia

Mais Lidas

Patrocinados