CGTP marca dia nacional de luta para 28 de junho com greves e concentrações

Agência Lusa , AG
11 mai 2023, 19:20
Manifestação no âmbito das comemorações do Dia do Trabalhador, desde o Martim Moniz até à Alameda (LUSA/Miguel A. Lopes)

Dia de luta tem como lema "aumentar salários; garantir direitos; contra o aumento do custo de vida; pelo direito à saúde e habitação"

A CGTP anunciou esta quinta-feira um dia nacional de luta, em 28 de junho, com greves e concentrações nos locais de trabalho e empresas em vários setores, para exigir aumentos dos salários face à subida do custo de vida.

O protesto foi decidido na reunião do Conselho Nacional da CGTP, que esteve reunido para analisar a situação político-sindical, nomeadamente "o agravamento das condições de vida e de trabalho" e decidir novas formas de luta.

O Conselho Nacional decidiu "levar a cabo um dia nacional de luta, no dia 28 de junho, em todos os setores e em todo o país, com greves, paralisações e concentrações nos locais de trabalho e empresas, com expressão de rua", anunciou em comunicado a intersindical.

O dia de luta tem como lema “aumentar salários; garantir direitos; contra o aumento do custo de vida; pelo direito à saúde e à habitação”.

Para a CGTP, a diminuição do poder de compra "face à escalada dos preços e dos lucros" exige "a continuação da mobilização e organização dos trabalhadores nas empresas e locais de trabalho" com vista a repor e melhorar o poder de compra.

"As medidas que têm vindo a ser tomadas, resultado da luta que tem vindo a ser desenvolvida, são muito insuficientes, não garantem a resposta e as soluções que são precisas", disse à Lusa a secretária-geral da CGTP, Isabel Camarinha.

O aumento geral dos salários para todos os trabalhadores, em pelo menos 10% com um mínimo de 100 euros e o aumento do salário mínimo para 850 euros estão entre as reivindicações da CGTP.

A líder da CGTP referiu ainda que será dada continuidade à campanha nacional de defesa e reforço do Serviço Nacional de Saúde, com a mobilização para a marcha pelo direito à saúde, marcada para 20 de maio em Lisboa, no Porto e em Coimbra.

País

Mais País

Patrocinados