Moedas defende que a batalha climática só pode ser defendida de duas formas: "sem fricção" e com benefícios "no bolso"

Agência Lusa , FM
20 out, 15:30
Carlos Moedas (LUSA)

O Presidente da Câmara Municipal de Lisboa agradeceu "à Europa" pelo apoio financeiro à capital em áreas como a habitação.

O presidente da Câmara Municipal de Lisboa defendeu esta quinta-feira que a batalha climática só se vence “sem fricção” entre os vários grupos e quando as pessoas sentem os benefícios da transição energética “no bolso”.

Na abertura de uma conferência do grupo do Partido Popular Europeu (PPE) sobre o Mercado Europeu de Eletricidade, que decorre esta quinta-feira em Lisboa, Carlos Moedas lamentou que ainda se mantenha o isolamento da Península Ibérica em termos energéticos, defendendo que o Governo PSD/CDS-PP que integrou esteve “na linha da frente” para inverter a situação.

“A Península Ibérica não pode ser a jangada de pedra da energia, temos de nos ligar à Europa rapidamente”, disse.

Em matéria de sustentabilidade, o autarca da capital defendeu que a batalha climática só pode ser vencida de duas formas.

“A primeira é não friccionar com as pessoas (…) A culpa não é dos jovens que se metem na rua a parar os carros, é dos que criaram neles este pânico, temos de trazer a juventude para junto de nós para ajudar a mudar o paradigma”, disse.

Por outro lado, defendeu, “as políticas energéticas só funcionam se as pessoas sentirem que o fazem se sente no bolso”.

Como exemplo de “sustentabilidade no bolso”, apontou os passes gratuitos em Lisboa para os mais novos e os mais velhos, dizendo que dos 90 mil que aderiram, metade não tinham passe antes.

“A procura multiplicou por dois, funciona porque as pessoas sentem no seu dia-a-dia”, reforçou.

Carlos Moedas deixou ainda um agradecimento “à Europa” pelo apoio financeiro à capital em áreas como a habitação ou o programa de energia solar, que estimou no total em mil milhões de euros.

“Sem a Europa não teríamos capacidade de fazer as mudanças que estamos a fazer em Lisboa”, disse.

“A Europa sabe que tem em mim um presidente de câmara pró-europeísta, sinto e sempre senti a Europa no bolso”, disse, recordando os seus tempos como estudante Erasmus.

Ao PPE, Moedas agradeceu “a capacidade de unir as pessoas em volta de uma ideia de Europa”.

“Quando vejo tanto extremismo, tanto populismo, o que desejo é que sejamos voz da união e moderação”, disse.

O presidente do PSD, Luís Montenegro, encerrará, pela hora de almoço, a conferência do PPE sobre o mercado europeu de eletricidade.

Relacionados

Economia

Mais Economia

Patrocinados