Um crucifixo com bonecos de peluche ou igrejas com entrada proibida a maiores de 18 anos. Obras de Bordalo II chamam a atenção para os abusos sexuais na Igreja Católica

CNN Portugal , MJC
24 out, 09:25

O artista mostrou quatro instalações artísticas realizadas em igrejas: "Temos que usar a nossa voz para defendermos aquilo que está certo e aqueles que não se conseguem defender. Temos que adotar uma atitude crítica, principalmente em temas tabu como este e ser parte ativa da mudanca", explicou

Dois sinais de trânsito colados na porta de uma igreja avisam: é proibida a entrada a maiores de 18 anos e a crianças acompanhadas. Noutra igreja foi colocado um crucifixo coberto por bonecos de peluche. Também há um crucifixo onde a figura de Cristo foi substituída por um boneco. E um outro sinal de trânsito onde um padre parece controlar duas marionetas que são crianças. Estas são as imagens que o artista Bordalo II partilhou há dias nas suas redes sociais e que mostram instalações artísticas temporárias realizadas em diferentes igregas portuguesas com o objetivo de chamar a atenção para o escândalo dos abusos sexuais a menores dentro da Igreja Católica.

"Quantos predadores sexuais e molestadores de crianças haverá escondidos atrás de cortinas douradas? Aparentemente, nunca os suficientes para fazer a Igreja e os seus crentes tomar uma posição séria", afirma o artista na legenda da publicação. 

E explica o propósito destas obras: "À semelhança do que acredito ser o dever da sociedade, também nós artistas temos que usar a nossa voz para defendermos aquilo que está certo e aqueles que não se conseguem defender. Temos que adotar uma atitude crítica, principalmente em temas tabu como este e ser parte ativa da mudanca".

A série chama-se "Cruzes. Credo. Canhoto" e as obras já não se encontram nos locais onde foram fotografadas.

As obras inserem-se na série "Provocative" do autor, peças efémeras com que Bordalo II "invade" o espaço público para chamar a atenção para algum tema da atualidade que considera pertinente, como por exemplo a crise climática. 

Artes

Mais Artes

Patrocinados