Ator Bill Cosby será julgado por agressão sexual na Califórnia

Agência Lusa , AM
24 mai, 06:22
Ator e comediante Bill Cosby depois de ter sido detido na Pensilvânia

Novo julgamento civil contra Bill Cosby inicia-se em Santa Mónica com a seleção do júri e os argumentos finais para a acusação e a defesa vão começar na próxima semana

O ator norte-americano Bill Cosby está a enfrentar novamente a justiça norte-americana, desta vez na Califórnia, onde começou esta terça-feira um julgamento civil por ter agredido sexualmente uma adolescente há quase 50 anos.

Judy Huth conta que foi agredida sexualmente pelo ator, que durante anos interpretou o pai ideal no “Cosby Show”, quando tinha apenas 15 anos, em 1974, na famosa Mansão da Playboy, em Los Angeles, no estado norte-americano da Califórnia.

A alegada vítima afirma ter sofrido sequelas psicológicas.

Judy Huth diz que conheceu Bill Cosby no ‘set’ de um filme. Segundo a visada, o ator convidou-a para o seu clube de ténis, dando-lhe álcool antes de levá-la para a Mansão da Playboy, onde a teria agredido sexualmente.

A versão dos fatos foi negada pelo ator de 84 anos, que já havia sido acusado por dezenas de mulheres de agressão sexual.

Bill Cosby foi libertado da prisão em junho de 2021, depois de o Supremo Tribunal da Pensilvânia revogou a sua sentença para um mínimo de três anos de prisão pela agressão sexual de 2004 a Andrea Constand, uma mulher que trabalhava na Universidade Temple, em Filadélfia.

Em 2 de dezembro de 2014, Judy Huth apresentou uma queixa civil, mas o tribunal suspendeu o processo por causa das acusações criminais contra Bill Cosby na ocasião.

A decisão do Supremo Tribunal da Pensilvânia, em seguida, a rejeição de um recurso neste caso à Supremo Tribunal dos Estados Unidos em março de 2022, foi vista por muitos como um desprezo pelo #MeToo contra a violência contra as mulheres.

O Supremo Tribunal da Pensilvânia não desculpou Cosby, mas anulou a condenação por um defeito processual.

O primeiro procurador encarregado do caso de Andrea Constand decidiu em 2005 não processar o Cosby em processos criminais, enquanto o encorajava a testemunhar em processos civis movidos pelo queixoso, o que o ator concordou em fazer.

Durante a audiência, o ator admitiu ter dado um sedativo a Andrea Constand antes de fazer sexo. Segundo Cosby foi consentido, porque Andrea Constand não protestou ou expressou a sua desaprovação, testemunho que foi usado contra o artista no julgamento criminal.

O novo julgamento civil contra Bill Cosby inicia-se em Santa Mónica com a seleção do júri e os argumentos finais para a acusação e a defesa vão começar na próxima semana.

Relacionados

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Artes

Mais Artes

Patrocinados