Benedict Cumberbatch pode ser condenado pelo passado esclavagista da família nos Barbados

3 jan, 10:48
Benedict Cumberbatch (Associated Press)

Família Cumberbatch foi dona da plantação de Cleland, onde era cultivado açúcar, e chegou a ser proprietária de 250 escravos

O ator Benedict Cumberbatch pode vir a ser condenado pelo passado esclavagista da família nos Barbados. O britânico de 46 anos, que já reconheceu o passado da família e o quanto isso lhe pesa, pode vir a ter de pagar uma indemnização aos descendentes dos escravos comprados para as plantações de algodão e açúcar dos séculos XVIII e XIX. Entre os donos destas plantações encontram-se familiares do ator.

"Todos os descendentes de proprietários de plantações brancos que beneficiaram do tráfico de escravos devem pagar indemnizações, incluindo a família Cumberbatch", afirmou o secretário-geral do Movimento das Caraíbas pela Paz e Integração, David Denny, ao Telegraph

A decisão foi tomada pelo governo dos Barbados que, nos últimos meses, criou uma comissão para que se reparem os danos causados pelas famílias proprietárias das plantações e de escravos. 

No entanto, a família de Cumberbatch não é a única que está sob a mira do governo dos Barbados. Também o membro do parlamento britânico Richard Drax, que herdou a maior plantação de açúcar do território, enfrenta as queixas da ilha para que devolva as propriedades e pague pelos danos causados.

Drax tem-se negado a devolver as terras ao país e, segundo o The Guardian, em novembro, o executivo anunciou que vai pedir uma compensação num tribunal internacional. 

Segundo Denny, o dinheiro deverá ser usado para "transformar as clínicas locais em hospitais, apoiar as escolas e melhorar as infraestruturas e a habitação no país".

250 escravos na posse da família

Quando fez o filme Amazing Grace, em 2006, Cumberbach afirmou que sentiu que o seu papel como William Pitt era como uma "espécie de pedido de desculpas" pelo papel da sua família no tráfico de escravos. De acordo com o The Guardian, o ator contou ainda que no início da sua carreira a mãe lhe chegou a sugerir para mudar o apelido para que evitar que no futuro lhe pedissem contas pelo passado da sua família com os escravos.

Segundo o The Telegraph, em 1728, o bisavô do trisavô do ator, Joshua Cumberbatch, comprou a plantação de Cleland para cultivar açúcar no norte dos Barbados, onde chegou a ter cerca de 250 escravos. As terras estiveram na posse da família durante quase um século. 

A escravatura foi abolida em 1834 e o governo britânico ofereceu uma compensação aos proprietários que perderam as suas terras, tendo a família Cumberbatch recebido, na altura, 6 mil libras (6.780 euros), um valor que atualmente, de acordo com as contas do The Telegraph, ascenderia aos 1.129.813 euros.         

Artes

Mais Artes

Patrocinados