Barragem do Caia em Elvas está quase cheia e vai efetuar descargas, dez anos depois

Agência Lusa , RL
9 jan, 17:55
Há 20 anos, em 08 de fevereiro de 2002, fecharam-se as comportas da barragem e começou o enchimento da albufeira do Alqueva. Agricultores falam em “salvação”, ambientalistas apontam mais defeitos do que virtudes

Graças à chuva que tem caído nos últimos tempos, a albufeira atingiu 97,12% da sua capacidade de armazenamento

A Barragem do Caia, no concelho de Elvas (Portalegre), já atingiu os 97,12% da capacidade de armazenamento de água e, esta terça-feira, vai proceder a descargas, 10 anos após a última operação, foi revelado esta segunda-feira.

Na sua página na Internet, a Associação de Beneficiários do Caia (ABCAIA) anunciou que estas descargas de superfície vão arrancar às 10:00 de terça-feira e comunicou a decisão às populações dos concelhos de Elvas e Campo Maior.

Graças à chuva que tem caído nos últimos tempos, a albufeira atingiu 97,12% da sua capacidade de armazenamento, o que corresponde a mais de 184,5 milhões de metros cúbicos (m3) de água, segundo informações da ABCAIA no seu ‘site’.

A barragem do Caia foi construída em 1963 e tem capacidade para armazenar 190 milhões de metros cúbicos de água, abastecendo os concelhos de Elvas, Campo Maior, Arronches e Monforte, naquele distrito do Alto Alentejo.

A ABCAIA é uma organização sem fins lucrativos, tutelada pelo Ministério da Agricultura, tendo a seu cargo a gestão, exploração e conservação do Aproveitamento Hidroagrícola do Caia.

Contactado pela agência Lusa, Luis Rodrigues, da ABCAIA, explicou que a associação vai proceder a “pequenas descargas compostas de superfície” para “controlar” o volume da barragem.

O responsável explicou que os residentes ou os agricultores que vivem e trabalham nas margens do rio Caia foram “avisados há 12 dias” de que esta operação iria ocorrer esta terça-feira.

Luis Rodrigues recordou ainda que a última descarga efetuada na Barragem do Caia ocorreu há quase 10 anos, em fevereiro de 2013.

“Antes [de 2013], era mais frequente efetuar descargas, tanto de superfície, como de fundo”, acrescentou.

Depois de ser descarregada e libertada desta albufeira, a água vai seguir o seu trajeto pelo rio Caia, entrando a seguir no curso do rio Guadiana, após o que culminará na Barragem do Alqueva.

País

Mais País

Patrocinados