A estrear jovens Portugal não fica mal na fotografia

1 fev 2017, 10:37
Belenenses-Rio Ave (Lusa)

Os jogadores sub-23 que chegaram este ano à Liga, comparados com os grandes campeonatos europeus

A Liga portuguesa tem mais de quatro dezenas de jovens estreantes esta época, contando jogadores com menos de 23 anos que fazem o seu primeiro ano no principal escalão. Está assim acima da média dos principais campeonatos europeus, de acordo com as contas feitas pelo Maisfutebol na sequência de um estudo do CIES – Observatório do Futebol para as cinco grandes Ligas europeias.

Há várias maneiras de contabilizar estreias, mas esta abordagem seguiu o espírito do estudo original, que pretende medir a capacidade de determinado campeonato em lançar jovens. Portanto, contamos jogadores sub-23 que tiveram esta época a sua primeira experiência num campeonato principal, deixando de fora outros que chegaram este ano à Liga mas, mesmo estando neste horizonte etário, já tivessem jogado no primeiro escalão noutro país. Isto porque, formalmente, esse foi o campeonato onde o jogador foi de facto lançado.

Como exemplo o benfiquista Cervi, que se estreou este ano na Liga portuguesa, mas já tinha representado o Rosário Central no principal campeonato argentino. Casos semelhantes os de Zivkovic e Celis, ou  de João Teixeira, no FC Porto, que já se tinha estreado na Premier League pelo Liverpool.

Neste cenário, os «grandes» não contribuem muito para o bolo total. José Gomes é o único jovem do Benfica que se estreou em absoluto esta época, com 20 minutos em campo, enquanto o FC Porto tem Rui Pedro (128 minutos) e o Sporting apenas Bruno Paulista, que jogou 22 minutos nesta Liga.

O Sp. Braga, atual quarto classificado, já apresenta três nomes para estas contas: Artur Jorge, Bruno Wilson e Xeca, que acaba de sair para o Lille, juntos com mais de 1500 minutos em campo.

Entre os clubes que mais se destacam está o Belenenses, que tem Dinis Almeida, Domingos Duarte, Mica Pinto e Benny nestas circunstâncias, a que podemos juntar ainda Edgar Ié, que representou o Barcelona e chegou a jogar pela equipa principal, mas apenas para a Taça do Rei, não para a Liga.

Em termos individuais, destaque para Pedrinho. O médio do Paços Ferreira não só se estreou esta época na Liga como é totalista, o único dos jovens estreantes que jogou todos os minutos do campeonato. Um jogador que nem chegou à Liga particularmente cedo, a estreia aconteceu apenas aos 23 anos (completou 24 em dezembro). Mateus Silva e Whelton são os outros jogadores do Paços que entram neste conceito de estreantes. Gil Dias, do Rio Ave, é outro dos jovens debutantes que tem sido aposta sólida, com mais de 1300 minutos pelo Rio Ave, tal como o guarda-redes Bruno Varela, no V. Setúbal.

O Moreirense tem quatro nomes para juntar a estas contas de sub-23 estreantes, três deles também apostas sólidas, como Podence e Francisco Geraldes, cedidos pelo Sporting e que regressaram agora à casa-mãe, ambos acima dos 1100 minutos de jogo na Liga, bem como Pedro Rebocho. Tiago Morgado é o quarto nome na lista. Tal como o Feirense, com Fabinho, Iduitua David, Tchuameni e Etebo, este o mais utilizado, perto dos 900 minutos.

A equipa de Santa Maria da Feira, tal como quase todas as outras, tem vários outros estreantes na Liga acima desta idade, incluindo o mais veterano de todos, Rocha, atualmente com 30 anos.

Portugal fica assim bem na fotografia entre as grandes ligas europeias, onde se destaca, de acordo com o estudo do CIES, a Liga francesa, com um total de 29 estreantes. Na cauda do pelotão, que contabiliza jogos da época 2016/17, está a Premier League, com apenas 12 estreantes, para 907 minutos jogados.

O Nice do português Ricardo Pereira é o clube que lidera o pelotão no que diz respeito a minutos jogados por estreantes, também com o jogador de todas as «Big 5» que apresenta mais minutos: o central Malang Sarr.

Patrocinados