Antigo informador do FBI acusado por mentir sobre filho de Biden

Agência Lusa , AM
16 fev, 06:06
Hunter Biden (AP)

Alexander Smirnov é suspeito de ter mentido, acusando Joe e Hunter Biden de terem recebido, cada um, cinco milhões de dólares

A justiça norte-americana anunciou na quinta-feira um processo contra um antigo informador da polícia federal (FBI), acusado de ter mentido e fabricado falsas acusações de corrupção contra Hunter Biden, filho do presidente dos EUA.

Alexander Smirnov, antigo informador do Departamento Federal de Investigação (FBI), foi detido no mesmo dia em Las Vegas, indicou um comunicado do procurador especial que investiga Hunter Biden.

O homem de 43 anos é suspeito de ter mentido, acusando Joe e Hunter Biden de terem recebido, cada um, cinco milhões de dólares (4,64 milhões de euros) em subornos para permitir que uma empresa de gás ucraniana, a Burisma, escapasse a um processo judicial.

O ex-informante "forneceu informações falsas e depreciativas ao FBI sobre" os dois membros da família Biden, de acordo com a acusação, referindo que este pode ser condenado até 25 anos de prisão pelo crime.

Este novo desenvolvimento vem fragilizar a investigação de destituição conduzida pelos republicanos no Congresso contra Joe Biden, meses antes de um provável novo confronto entre o democrata e o ex-dirigente Donald Trump pela presidência, de acordo com a agência de notícias France-Presse (AFP).

A direita acusa Joe Biden, até agora sem provas conclusivas, de ter usado a influência enquanto vice-Presidente de Barack Obama (2009-2017) para permitir que o filho Hunter efetuasse negócios duvidosos na Ucrânia e na China.

A história de Smirnov tornou-se num elemento central que alimentava estas suspeitas.

E.U.A.

Mais E.U.A.

Mais Lidas

Patrocinados