Presidente chinês felicita Lula e enfatiza importância da parceria com Brasil

Agência Lusa , AM
3 jan, 06:54
Xi Jinping no encerramento do 20.º Congresso do Partido Comunista Chinês

Xi destacou que China e Brasil são países em desenvolvimento com “influência global” e “importantes” mercados emergentes com “interesses comuns”

O Presidente chinês, Xi Jinping, enfatizou esta terça-feira a “grande importância” da “parceria estratégica” entre China e Brasil, numa mensagem de felicitações enviada ao líder brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva, que tomou posse no domingo.

“Desde que China e Brasil estabeleceram relações diplomáticas há 48 anos, o relacionamento bilateral desenvolveu-se em profundidade", disse Xi, na mensagem difundida pela agência noticiosa oficial Xinhua. O líder chinês apontou que os laços entre os dois países “são um modelo” para as nações em desenvolvimento.

Xi destacou que China e Brasil são países em desenvolvimento com “influência global” e “importantes” mercados emergentes com “interesses comuns”.

Pequim atribui “grande importância ao desenvolvimento da cooperação estratégica” com Brasília, afirmou.

O Presidente chinês acrescentou que quer “levar a parceria entre China e Brasil para um patamar superior" e declarou estar "disposto a trabalhar" com o país sul-americano para “encontrar modelos de desenvolvimento que se encaixem nas condições de cada nação”.

Durante os primeiros dois mandatos de Lula, entre 2003 e 2011, a relação comercial e política entre Brasil e China intensificou-se, marcada, em particular, pela constituição do bloco de economias emergentes BRICS, que inclui ainda Rússia, Índia e África do Sul.

A relação entre Pequim e Brasília arrefeceu, no entanto, durante o mandato do anterior líder brasileiro Jair Bolsonaro, que assumiu o poder com a promessa de reformular a política externa brasileira, com uma reaproximação aos Estados Unidos, e pondo em causa décadas de aliança com o mundo emergente.

Desde 2009, a China é o principal parceiro comercial do Brasil, com o comércio bilateral a passar de nove mil milhões de dólares (8,4 mil milhões de euros), em 2004, para 135 mil milhões de dólares (126 mil milhões de euros), em 2021. Nos últimos anos, a participação da China nas exportações do Brasil superou os 30%, à 'boleia' do 'apetite' do país asiático por matérias-primas, sobretudo soja e minério de ferro.

Entre 2007 e 2020, a China investiu, no total, 66 mil milhões de dólares (61 mil milhões de euros) no Brasil.

Relacionados

Ásia

Mais Ásia

Patrocinados