O caso do jovem português que orquestrava massacres e o ataque racista no Porto: autores "são pessoas intolerantes" e que "não veem o outro como igual"

4 mai, 23:08

Carlos Poiares, do Departamento de Criminologia e Psicologia da Universidade Lusófona, analisa o caso do jovem português de 17 anos que incitava na Internet a crimes violentos, bem como o ataque desta madrugada contra imigrantes no Porto.

O especialista entende que os dois casos têm semelhanças, na medida em que ambos partem do princípio de que os autores dos crimes não têm "qualquer empatia" pelo outro.

Crime e Justiça

Mais Crime e Justiça

Patrocinados