"Ficou muito claro que, com Biden, Xi Jinping não aceitaria uma escalada para o nuclear"

20 nov, 13:51

Sónia Sénica, especialista em assuntos internacionais e comentadora da CNN Portugal, analisa os últimos desenvolvimentos da guerra na Ucrânia. E assinala que a Rússia passou a ter como alvos as infraestruturas energéticas em solo ucraniano porque Putin percebeu que não teria o apoio dos seus aliados, nomeadamente da China, numa eventual escalada com recurso a armas nucleares no conflito.

Sónia Sénica destaca ainda, na sequência da queda de um míssil da Polónia, que "ninguém quis avançar para uma escalada do conflito" e a situação foi tratada com "muita cautela" pelos polacos e restante comunidade internacional, que ainda assim não deixou de condenar Moscovo.

Comentadores

Mais Comentadores

Patrocinados