Comprar empresa de jatos e traficar droga três vezes por mês para Portugal. Autoridades revelam plano de suspeitos brasileiros

23 abr, 15:09

A Polícia Federal brasileira está convencida que a rede de tráfico de droga entre Portugal e o Brasil, envolvida no caso do avião apreendido em fevereiro de 2021 com quase 600 quilos de cocaína, se preparava para fazer três voos por mês para transportar droga entre os dois países. A convicção baseia-se nas mensagens trocadas entre os suspeitos.

O relatório do Grupo Especial de Investigações Sensíveis da polícia brasileira, a que tivemos acesso, refere uma mensagem áudio enviada por WhatsApp, em que o empresário e advogado Rowles Magalhães Silva, luso-brasileiro, explica ao sócio, o brasileiro Ricardo Agostinho, que pensou num negócio.

Brasil

Mais Brasil

Patrocinados