Atentado na universidade esteve para acontecer na segunda-feira, mas o jovem hesitou (e depois arrependeu-se)

11 fev, 20:23

O atentado na Faculdade de Ciências de Lisboa esteve para acontecer na passada segunda-feira, dia 7. Esta sexta-feira foi uma segunda opção para o jovem de 18 anos que o planeou.

Na verdade, na segunda feira, à hora de almoço, e quando estava já sob vigilância apertada da Polícia Judiciária, o estudante dirigiu-se à faculdade com todo o arsenal de armas que tinha preparado: garrafas de gás e gasolina, facas, catanas, uma besta.

Teve um momento de hesitação e decidiu voltar para casa. Esta hesitação salvou um número indeterminado de pessoas.

No entanto, e assim que chegou a casa, escreveu no diário que se tinha arrependido de não ter concretizado o plano e decidiu de imediato quando o iria concretizar esta semana. Seria sexta-feira e a uma hora determinada: 13:20.

O estudante planeava um ataque à Faculdade de Ciência da Universidade de Lisboa (FCUL). Tinha como objetivo cometer o maior número possível de homicídios sobre colegas universitários, de forma indiscriminada, num dia em que decorriam exames de segunda fase, juntando centenas de alunos. O plano seria aplicado esta sexta-feira.

O suspeito foi entretanto detido pela Polícia Judiciária, que, através da Unidade Nacional de Contraterrorismo, seguiu as pistas do FBI e conseguiu uma identificação e morada. Esta quinta-feira, após realizar uma busca à casa do jovem, confirmou que este detinha um plano pormenorizado do ataque, "com os detalhes da ação criminal a desencadear". No quarto tinha também várias armas brancas (facas, catanas e uma besta com dardos de aço), botijas de gás, garrafas com gasolina e isqueiros. 

Vai ficar em prisão preventiva no Estabelecimento Prisional de Lisboa, sem internamento. Segundo apurou a CNN Portugal, a juíza de instrução validou a indiciação por terrorismo. Em causa está continuação de atividade criminosa e alarme social.

País

Mais País

Patrocinados