Universitário detido na Virgínia após morte a tiro de três atletas

Agência Lusa , DCT
14 nov, 18:23
Polícia dos EUA (Mike Kropf /The Daily Progress via AP)

Os alunos permaneceram no local por mais de 12 horas até que a ordem foi levantada na manhã desta segunda-feira

Um estudante da Universidade da Virgínia, nos Estados Unidos, foi esta segunda-feira detido por suspeitas de ter assassinado a tiro no domingo três jogadores de futebol americano da equipa universitária e ferir outras duas pessoas.

O jovem foi detido mais de 13 horas após supostamente ter disparado contra os seus colegas no campus de Charlottesville, quando estes voltavam de autocarro de uma excursão escolar, disseram as autoridades.

O diretor da Universidade da Virgínia, Jim Ryan, e vários agentes da Polícia estavam numa conferência de imprensa esta segunda-feira quando receberam a notícia de que o suspeito havia sido detido.

Além dos três jogadores da equipa de futebol americano da Universidade da Virgínia, dois outros estudantes ficaram feridos no tiroteio na noite de domingo, que aconteceu num estacionamento do campus universitário, quando um autocarro cheio de estudantes voltava de uma excursão escolar a Washington, DC.

Jim Ryan disse que um dos alunos feridos estava em estado crítico e o outro estava estável num hospital local.

O tiroteio desencadeou uma intensa 'caça ao homem', com as autoridades a ordenar que os estudantes se abrigassem no local e conduzindo uma busca pelos prédios e terrenos do campus.

Os alunos permaneceram no local por mais de 12 horas até que a ordem foi levantada na manhã desta segunda-feira.

Quando a conferência de imprensa começou, o chefe do Departamento de Polícia da Universidade da Virgínia, Timothy Longo, informou que as autoridades estavam "razoavelmente confiantes" de que o atirador já não estava nas instalações universitárias e instou o público a fornecer informações sobre o suspeito.

Logo depois recebeu a notícia de que o suspeito de 22 anos, Christopher Darnell Jones, havia sido detido.

“Deem-me apenas um momento para agradecer a Deus e dar um suspiro de alívio”, disse o chefe da Polícia.

Timothy Longo indicou que o jovem enfrenta agora três acusações de homicídio em segundo grau e três acusações de uso de arma de fogo na prática de um crime

Até ao momento, a polícia não forneceu um motivo para o ataque.

Pelo menos 68 tiroteios ocorreram este ano nas instalações das escolas nos Estados Unidos, incluindo 15 em campus universitários, com pelo menos uma pessoa baleada em cada caso, sem incluir o atirador, segundo a cadeia de informação CNN.

E.U.A.

Mais E.U.A.

Patrocinados