NATO é "produto da Guerra Fria que ameaça segurança da Rússia", afirma a Coreia do Norte

Agência Lusa , PF
13 fev, 17:47
O líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un acena a uma parada militar, em Pyongyang, a 15 de abril de 2017. Foto: Ed Jones//AFP/Getty Images

A ação norte-americana é classificada por Pyongyang tão "surpreendente quanto selvagem"

A diplomacia norte-coreana defendeu este domingo os interesses da Rússia na crise da Ucrânia, acusando os Estados Unidos e a NATO, que descreveu como um produto da Guerra Fria, de representarem, uma ameaça à segurança na região.

"É um facto bem conhecido que a ameaça militar dos Estados Unidos a Moscovo está a aumentar gradualmente devido à implantação de sistemas de defesa antimísseis na Europa Oriental, o fortalecimento da presença militar da NATO nas regiões fronteiriças com a Rússia e a expansão contínua da NATO para o leste após o colapso da União Soviética", de acordo com um comunicado do Ministério dos Negócios Estrangeiros norte-coreano.

Na nota, divulgada na página do ministério na Internet, Pyongyang lamenta os "persistentes rumores lançados pelos Estados Unidos sobre uma 'invasão russa da Ucrânia' como pretexto para "enviar milhares de tropas para a Europa Oriental" e "aumentar o grau de tensão em torno da Ucrânia".

A ação norte-americana é classificada por Pyongyang tão "surpreendente quanto selvagem".

Da mesma forma, o ministério denuncia que a NATO não passa de "um produto da Guerra Fria, impulsionada pela agressão e pelo desejo de dominar".

Pyongyang destaca que as tentativas de "pressionar Moscovo" apenas provocarão "uma reação mais forte da Rússia" que, assinala, está "pronta para lutar pela sua segurança".

Relacionados

Ásia

Mais Ásia

Patrocinados