Nações Unidas mostra "alarme" pela violência tribal no Sudão

Agência Lusa , AM
21 out, 13:55
Manifestações no Sudão

Pelo menos 155 pessoas foram mortas nos confrontos registados esta semana

A missão das Nações Unidas no Sudão expressou esta sexta-feira "alarme" pelo crescimento da violência entre comunidades no estado do Nilo Azul, no sul do país, onde mais de 150 pessoas morreram em confrontos nos últimos dias.

"A paz sustentável não será possível sem um governo funcional e completamente credível, que dê prioridade às necessidades das comunidades locais, o que inclui a segurança e lidar com as raízes destes conflitos", disse a Missão Integrada de Assistência para a Transição das Nações Unidas no Sudão (UNITAMS), num comunicado colocado no Twitter, e citado pela agência Europa Press.

De acordo com o diário local 'Sudan Tribune', pelo menos 155 pessoas foram mortas nos confrontos registados esta semana entre membros das tribos hausa e berta em três localidades nos arredores de Was ah Mahi, o que faz com que o número de mortos suba para cerca de 300 nos últimos três meses.

As autoridades do país tinham indicado que, até ao dia 6 de outubro, o número de mortos estava nos 149, com a contabilização feita desde meados de julho.

Cerca de 64 mil pessoas foram obrigadas a fugir das suas casas devido ao aumento da violência, de acordo com as autoridades, que chamam a atenção para os ataques "brutais" dos últimos dias, realizados durante a noite apesar do recolher obrigatório, o que faz com que a situação seja classificada de "perigosa".

África

Mais África

Patrocinados