Espanha: Quique Flores e Acuña alvos de insultos racistas na visita ao Getafe

31 mar, 12:51
Quique Flores

Sergio Ramos saiu em defesa do treinador e colega de equipa. Vini Jr. também reagiu

A partida entre o Getafe e o Sevilha, vencido este sábado pelos visitantes com um golo do aniversariante Sergio Ramos (0-1), ficou marcado pelos insultos racistas contra Quique Flores e Marcos Acuña.

Dezenas de adeptos do Getafe chamaram «macaco» ao argentino, ex-Sporting, e recorreram à ascendência cigana do treinador – outrora no Benfica – para perturbar Quique Flores. Por isso, o jogo foi interrompido e nos altifalantes do estádio ecoaram pedidos para que os insultos terminassem.

No final do encontro, o capitão, Sergio Ramos, voltou a exigir respeito pelo Sevilha e respetivos profissionais.

«Exigimos que as pessoas não venham ao estádio para insultar os jogadores. O avançado [do Getafe] ouviu um insulto ao Acuña e avisou o árbitro. Nada mais. Devemos erradicar estas atitudes e limpar a imagem do futebol, que deve ser um desporto unificador», apelou.

Minutos depois, na conferência de imprensa, Quique Flores sugeriu a «proibição destas pessoas entrarem nos estádios».

«Tenho orgulho em cada poro do meu corpo e no sangue que me corre nas veias. É aberrante que se digam coisas como as que ouvi. Mas, houve adeptos do Getafe que se opuseram. Não podemos tornar o futebol num circo», reiterou.

Em sentido idêntico, o treinador do Getafe, Bordállas, argumentou que, «enquanto não forem tomadas medidas reais, então o desrespeito continuará».

O caso está a ser investigado pela La Liga, pela Federação Espanhola e pela Comissão Anti-Violência.

Nas redes sociais, Vinicius Jr. dedicou uma publicação, a fim de apoiar Acuña e Quique Flores.

 

Relacionados

Mais Lidas

Patrocinados