Saiba tudo sobre o Euro aqui

O que anda Pedro Nuno Santos a fazer da vida? A descansar (mas o regresso ao Parlamento está a deixar a bancada do PS em polvorosa)

15 jun 2023, 07:00
Pedro Nuno Santos na Comissão de Economia. António Pedro Santos/Lusa

Pedro Nuno Santos tem um plano de futuro. Embora o presente seja mais calmo, com o desejado descanso, o regresso ao Parlamento já está a gerar comentários entre os socialistas. E não se afasta que, a seu tempo, ele possa assumir a desejada liderança

Desde 29 de dezembro, dia em que se demitiu do Governo, que as redes sociais de Pedro Nuno Santos não são atualizadas. Houve apenas, no Facebook, a alteração para “Former [ex-] Ministro das Infraestruturas”. Reina um silêncio que, desde então, só quebrou três vezes.

A primeira, a 4 de janeiro, na tomada de posse do sucessor João Galamba para pedir “descanso” aos jornalistas depois de “sete anos muito intensos”. A segunda, a 20 de janeiro, em comunicado, para confirmar que, afinal, tinha dado luz verde à indemnização de 500 mil euros a Alexandra Reis através de mensagem. A terceira, na semana passada, na comissão de Economia, para criticar o processo de privatização da TAP.

A quarta (e mais importante) quebra de silêncio acontece já nesta quinta-feira, com a ida à comissão parlamentar de inquérito sobre a gestão da TAP. Mas, nos entretantos, o que anda Pedro Nuno Santos a fazer da vida? A resposta é simples. Está a cumprir o que pediu: a descansar.

Vários socialistas ouvidos pela CNN Portugal confirmam que Pedro Nuno Santos tem o mandato como deputado suspenso e mantém-se sem qualquer atividade profissional. “Sei que não está a trabalhar e que se recolheu mesmo para descansar, foram muitos anos em lugares chave, muita pressão política, muito desgaste normal de quem vive estes ritmos doidos e exigentes”, diz um deputado socialista.

Ou seja, Pedro Nuno Santos está a fazer aquilo que muitas vezes os políticos não têm oportunidade: umas longas férias. Mas, nessa ausência, como ficou a relação com os camaradas de partido? “Continua a haver ligação com o partido, mas sem grandes manifestações”, conta um membro da direção da bancada socialista. “Anda bastante quieto”, completa outro.

Mas, entre os socialistas, acredita-se que não é esta ausência mediática prolongada que poderá colocar em causa a carreira política de Pedro Nuno Santos. Pelo contrário, há um plano bem definido a este nível. “Na política há quem esteja sempre à procura de 15 minutos de fama, e há pessoas que têm uma intervenção continuada, que não precisam de falar todos os dias. Pedro Nuno Santos está nesta segunda esfera”, considera o deputado Porfírio Silva.

(Lusa)

Uma bancada em “burburinho” à espera do trunfo

“Tiveram saudades minhas?”. A pergunta foi feita por Pedro Nuno Santos - em tom de brincadeira, mas muito consciente da sua magnitude - aos deputados do PSD na comissão de Economia. Mas parece que não é só na bancada da oposição que o regresso do ex-governante às batalhas políticas cria expectativa.

No PS, dizem alguns dos socialistas ouvidos, “já há um burburinho, já se comenta que ele vai voltar, está tudo pronto para o receber bem”. A audição da semana passada foi vista, dentro e fora do partido, como um comeback, que confirmou a essência política de Pedro Nuno Santos e fez recordar os anos em que, enquanto secretário de Estado, geriu o jogo de força entre os diferentes partidos da geringonça.

“Claro que há um burburinho adicional. O PS está a funcionar como a Seleção funcionou sem o Ronaldo”, compara o socialista Ascenso Simões, que é inclusive de uma ala oposta à de Pedro Nuno Santos, visto como estando ‘mais à esquerda’.

“Encaro o regresso de Pedro Nuno Santos com toda a normalidade, é um reforço do grupo parlamentar, na medida em que é um político corajoso e com ideias próprias. O grupo parlamentar tem vários ex-membros do Governo. Isso é uma mais-valia, uma vez que são pessoas experimentadas”, completa o deputado Porfírio Silva.

Deverá ser a partir de 4 de julho, ainda a tempo do debate do estado da nação, que essa presença parlamentar se tornará mais assídua. Isto porque termina neste dia a suspensão do mandato de deputado. Era para Pedro Nuno Santos ter retomado o seu lugar na Assembleia da República em janeiro, mas, por duas vezes, pediu a suspensão. Na segunda, alegando “motivos familiares e pessoais”. Agora, se não voltar, só lhe resta renunciar ao mandato, algo que os socialistas não veem como provável.

Mas as sucessivas novidades sobre a TAP não melindraram a imagem de Pedro Nuno Santos? “Esta coisa da TAP chamuscou sobretudo o Hugo [Santos] Mendes”, ex-secretário de Estado das Infraestruturas, que geriu o processo de indemnização da saída de Alexandra Reis e tentou pressionar a TAP para mudar um voo onde seguiria Marcelo Rebelo de Sousa, reage um dos deputados ouvidos.

(Lusa)

Comentador, sim. E futuro líder do PS?

Pedro Nuno Santos tem um plano definido. E parte desse plano passa por um espaço de comentário semanal na SIC Notícias, a partir de setembro, segundo avançou o jornal Público. É expectável que o ex-ministro dê também uma entrevista ainda este verão, já após a conclusão dos trabalhos da comissão parlamentar de inquérito sobre a TAP nesta semana, cujo relatório será conhecido daqui a um mês.

Mas, além da carreira de comentador, ninguém esconde a vontade de ver Pedro Nuno Santos a continuar o trabalho político. Não é tempo de desafiar Costa, dizem os socialistas ouvidos pela CNN Portugal, mas a vontade de ver o ex-ministro liderar o PS continua bem presente entre os militantes – e há muito que é considerado internamente como a melhor opção.

“Os apoiantes de Pedro Nuno Santos podem ter ficado um pouco tristes com o que aconteceu, mas não vi nenhum dos grandes apoiantes a afastar-se”, concretiza Ascenso Simões.

“Tem uma grande representatividade no próprio futuro do PS, com muita gente interessada nas suas ideias. Ele nunca escondeu que quer ter um papel no futuro do PS. É legítimo e natural”, completa Porfírio Silva.

Relacionados

Governo

Mais Governo

Patrocinados